NOVAS USM da b8lab - disponíveis através da www.onefishplus.com

Decorreram no passado fim de semana de 12 e 13 de Março, na barragem do Facho, em Serpa, as primeiras duas provas do circuito de margem de 2016 da BASS Nation Portugal.

Depois de em 2014 a BASS Nation Portugal ter revolucionado a pesca ao achigã de margem em Portugal, com um regulamento inovador e verdadeiramente orientado para este tipo de pesca, e depois de em 2015 ter mantido o elevado nível de qualidade na organização das suas provas, este ano de 2016 volta a merecer um destaque no panorama nacional da pesca ao achigã por bater o record de participações, ao apresentar um circuito com provas de norte a sul do país que regista 49 pescadores inscritos!

Como sempre, os membros da BASSPT.com, que se encontram inscritos no circuito através do chapter achigas.com, marcaram presença, tendo comparecido os membros Nuno Duarte, Tiago Ramalho, Pedro Silva, Manuel Narciso e Alberto Nunes.

Da esquerda para a direita: Nuno Duarte, Manuel Narciso, Alberto Nunes, Pedro Silva e Tiago Ramalho

Da esquerda para a direita: Nuno Duarte, Manuel Narciso, Alberto Nunes, Pedro Silva e Tiago Ramalho

As provas

Depois de já em 2015 o circuito de margem da BASS Nation Portugal ter passado pela barragem do Facho, desta vez, ao contrário do temporal que assolou essas duas provas, os atletas foram brindados com um fim de semana com condições magnificas para o desenrolar das provas, com céu limpo e temperaturas que chegaram aos 20 ºC.

Além das condições climatéricas, também os achigãs se encontravam num estado completamente diferente. Via-se muito peixe a vaguear aos pares, sinal de se encontrarem numa fase já avançada da pré-desova. Mas de se verem a conseguirem-se capturar ia uma grande distância!

Inicialmente estava preparado para pescar com amostras rijas em tons de vermelho, que tinha sido o que funcionou para a generalidade dos pescadores em Outubro, quando cá tínhamos estado, mas depressa esse plano caiu por terra, pois os peixes não mostravam qualquer interesse em perseguir as amostras, chegando mesmo a fugir quando estas se aproximavam. A opção passava então pela utilização de amostras de apresentação lenta e em fazer dead-sticking (deixar a amostra completamente imóvel por longos períodos de tempo).

Na 1ª prova devo ter passado pelo menos uma hora com um peixe, mas o esforço foi em vão. Como eu estavam tantos outros pescadores. Foi um verdadeiro teste à paciência de pescador. Decidi-me então por encontrar outros peixes noutros locais… podia ser que ainda não tivessem sido importunados e conseguisse uma captura. Já passava mais de 3 horas desde o inicio da prova quando encontrei o Rui Galhofas. Conversámos um pouco e fiquei a saber que já tinha 3 peixes, todos capturados no local em que se encontrava – uma pequena baía, com sol, abrigada do vento e com muitos eucaliptos dentro de água. Era mesmo uma questão de paciência! Resolvi então encontrar novamente peixes que andassem a vaguear, mas desta vez ia lá ficar até que conseguisse uma captura ou que a prova terminasse.

Coloquei todas as canas de casting de parte e montei um Exostick Pro da Biospawn à Texas, sem peso na cana de spinning. Pelo caminho fui vendo uns peixes, mas já havia pescadores a tentar capturá-los. Fui até ao local da partida, na ilha, e lá andavam uns quantos peixes a vaguear de um lado para o outro. Não sei ao certo porquê, mas desta vez, no segundo lançamento, consegui capturar um deles, que pesou 860g.

Local onde capturei o achigã na 1ª prova

Local onde capturei o achigã na 1ª prova

Até ao final ainda insisti com os outros 2 achigãs que por ali vagueavam, mas sem sucesso.

Terminada a 1ª prova era hora de entregar os troféus:

Rui Galhofas - 1º Classificado

Rui Galhofas – 1º Classificado

Dinis Alexandre - 2º Classificado

Dinis Alexandre – 2º Classificado

Marco Arrais - 3º Classificado

Marco Arrais – 3º Classificado

Marco Arrais - Maior exemplar

Marco Arrais – Maior exemplar

Classificação Geral da 1ª prova do circuito de margem da BNP 2016

Classificação Geral da 1ª prova do circuito de margem da BNP 2016

A 2ª prova adivinhava-se igualmente difícil. À partida, como a grande maioria dos participantes se dirigiu para a direita, margem onde no dia anterior tinham sido efectuadas a maioria das capturas, eu, o Nuno Duarte e o Manuel Narciso resolvemos tentar a sorte indo para a esquerda. Depois de atravessar toda a parede da barragem instalei-me numa pequena baía, delimitada por vegetação. Fiquei por lá cerca de 30 minutos, mas reparei que, apesar da água ter uma profundidade boa para a desova, a zona era bastante fustigada pelo vendo e não ia receber Sol durante muito tempo. Tudo isto, aliado ao facto de não ter avistado nenhum achigã levou-me a decidir voltar para trás, e fui novamente tentar a sorte no local onde no dia anterior tinha efectuado a minha única captura. Tinha já decorrido pouco mais de 1 hora de prova quando cheguei ao local, mas desta vez não tive a mesma sorte. Não se notava a presença de peixe na zona. Insisti durante cerca de uma hora talvez, até que, juntamente com o Nuno Duarte, decidimos ir tentar a sorte mais para cima, para onde a maioria tinha ido logo no momento da partida.

Manuel Narciso, Nuno Duarte e Alberto Nunes alguns minutos após a partida

Manuel Narciso, Nuno Duarte e Alberto Nunes alguns minutos após a partida

Ao passar no local onde no dia anterior tinha estado o Rui Galhofas encontrei o Fábio Cunha e o Rui Galhofas, ambos já com uma captura cada um… Tinha que encontrar um local com condições semelhantes, pensei para comigo.

100 metros mais à frente havia uma baía semelhante, onde já tinha estado no dia anterior, mas como era muito difícil de lançar, só lá tinha parado por alguns minutos no dia anterior. Tinha eucaliptos dentro de água de ambos os lados, um eucalipto grande caído com a copa quase a chegar à margem, com as raízes levantadas dentro de água, tendo cerca de 3 ou 4 metros para lançar entre as raízes e os outros eucaliptos que se encontravam à minha esquerda, o problema é que os ramos dos eucaliptos da esquerda fechavam essa abertura para cerca de 2 metros, e tinha 7 ou 8 metros de água entre mim e essa abertura que dava para a baía.

Apesar das dificuldades para lançar, o local revelou-se muito produtivo. Infelizmente, dos 6 toques que tive só consegui cravar 2, dos quais um deles acabaria por se soltar a poucos metros da margem.

Depois das 6 horas de prova era altura de entregar os troféus:

Fábio Cunha - 1º Classificado

Fábio Cunha – 1º Classificado

Fausto Fernandes - 2º Classificado

Fausto Fernandes – 2º Classificado

André Jones - 3º Classificado

André Jones – 3º Classificado

Fernando Grácio - Maior exemplar

Fernando Grácio – Maior exemplar

Classificação Geral da 2ª prova do circuito de margem da BNP 2016

Classificação Geral da 2ª prova do circuito de margem da BNP 2016

Balanço final

Foram mais duas provas com uma situação de pesca difícil, a premiar a persistência e paciência dos pescadores.

É de salientar a qualidade do peixe da barragem do Facho que, durante ambas, não surgiram peixes que deixassem sequer dúvidas que não terem a medida mínima pontuável de 26cm. Os peixes mais pequenos levados à pesagem tinham em média 500g.

Foto de grupo - 1ª e 2ª prova

Foto de grupo – 1ª e 2ª prova

Podem ver todas as fotos das provas no grupo de Facebook da BASS Nation Portugal.

Em Julho há mais, até lá!

Classificação Geral do circuito de margem da BNP 2016 após as primeiras duas provas

Classificação Geral do circuito de margem da BNP 2016 após as primeiras duas provas

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus