Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

É fácil colocar-mo-nos numa situação confortável enquanto pescadores. Basta termos sucesso com uma determinada apresentação ou amostra e, sem darmos por isso, começa a ser praticamente a única coisa que utilizamos – o que não tem qualquer problema, enquanto esta aproximação estiver a resultar, mas o que acontece quando “a nossa amostra” deixa de funcionar?

Tenta-se com outra amostra, claro!

Apresar disto parecer simples, na prática é muito mais difícil. Quando não se tem confiança, é difícil tentar-se uma nova apresentação ou amostra, e é difícil ganharmos confiança numa nova apresentação ou amostra se não a utilizarmos. É um ciclo vicioso.

Aqui ficam então 3 formas para quebrar esse ciclo e ganhar confiança com uma nova amostra.

Utilizar exclusivamente essa amostra

Achigã capturado com uma USM da b8lab

Achigã capturado com uma USM da b8lab

Dedique parte do seu tempo de pesca a essa nova amostra. Uma boa forma de o fazer é removendo a tentação de utilizar outras amostras. Imaginemos que pretendemos aprender a pescar em drop shot. Leve-se apenas uma ou duas canas com empate de drop shot e deixe-se o resto das canas e material em casa. Esta abordagem tem-me ajudado bastante, embora, confesso, muitas das vezes que a utilizo faço-o por obrigação, como por exemplo, em 2014 quando me enviaram os primeiros swimbaits da b8lab. Até então nunca me tinha dedicado a este tipo de amostras, mas precisava de sair e testá-las, para a seguir poder aqui escrever sobre elas. Isso obrigou-me a deixar o resto das coisas em casa, de forma a conseguir retirar as minhas conclusões o mais rápido possível. Neste caso, não só ganhei confiança com swimbaits de vinil, como também descobri a sua eficácia.

Outra forma é dedicar uma porção de tempo de cada pescaria a essa técnica. Por exemplo, se queremos aprender a pescar com sapos de corpo oco, podemos dedicar a última hora de cada pescaria apenas para pescar com sapos de corpo oco, deixando de lado todo o outro equipamento. Esta foi precisamente a abordagem que efectuei com os sapos de corpo oco, mas pode ser aplicado para qualquer outra amostra ou técnica.

Uma boa captura com um sapo, num local de ervas, depois de chegar a casa de um dia de trabalho

Uma boa captura com um sapo, depois de chegar a casa de um dia de trabalho. Apenas levei uma cana e 2 sapos.

Utilizá-la correctamente

Se queremos aprender a pescar com drop shot, provavelmente não será boa ideia fazê-lo numa zona baixa e com muita vegetação. Se queremos ganhar confiança a pescar zonas rochosas fundas, não demos fazê-lo quando os achigãs estiverem encostados ás margens a reproduzirem-se. Em última análise devemos garantir que as condições se adequam minimamente para a nova técnica ou amostra, ou não vamos conseguir efectuar capturas.

Não desistir

Se não tivermos sucesso no inicio, devemos tentar, e voltar a tentar. Vai existir uma grande tentação para se desistir, faz-se 20 lançamentos com uma amostra e colocamo-la de parte se não apanharmos nada. Esta é a maior tentação a que devemos resistir. Existem certamente muitas situações em que a vossa amostra preferida não faz nenhuma captura durante algum tempo, mas não é por isso que a colocam de parte.

O meu primeiro achigã com o novo crankbait da Rapala

Primeiro achigã com um crankbait. Estávamos no ano de 2009, e foi preciso paciência para chegar a esta captura.

De forma a ganhar confiança é necessário desenvolver persistência. Não desistam de uma amostra só porque não têm bons resultados da primeira vez que a utilizam. Tentem utilizá-la uma e outra vez, especialmente se for uma amostra ou técnica que saibam que trazem sucesso a outros pescadores.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus