Por vezes a pesca ao achigã pode tornar-se difícil.

Conhecer bem a espécie e os seus hábitos é um ponto chave para levar ao sucesso nessas alturas.

Neste artigo abordo 4 factos que todo o pescador de achigã deve conhecer.

Temperatura da água

O achigã prefere águas com temperaturas de 27º a 28º graus. Podemos no entanto questionar o que significa em concreto a palavra prefere? Basicamente significa que, se tiverem todas as condições que lhes são necessárias a nível de habitat, estas serão as temperaturas da água que eles ocuparão, se existirem na massa de água onde vivem.

É no entanto de salientar que o achigã vive bem em águas entre os 3º e os 32º.

Também relacionado com a temperatura está a alimentação. Em águas de temperaturas baixas (menos de 10º), o achigã continua a alimentar-se, no entanto, consome menos alimento, pois o seu metabolismo também baixa. Com um metabolismo mais baixo, o achigã despende menos energia, logo necessita de menos alimento. Nestas situações é necessário fazê-los atacar.

Em águas mais frias, um jerkbait suspending trabalhado mais lentamente é uma boa opção

Em águas mais frias, um jerkbait suspending trabalhado mais lentamente é uma boa opção

Procura de alimento

O achigã é um predador que ataca as presas que vê, mas também se sabe que gostam de caçar em águas com pouca luz. Provavelmente as presas são detectadas através da linha lateral do peixe, que lhe permite detectar movimentos na água e a pressão. Apesar de ser menos notória que a linha lateral que o peixe tem de lado, o sistema da linha lateral está especialmente bem desenvolvido na cabeça do peixe. Estes “canais” permitem que o achigã detecte objectos que se encontrem à sua frente.

Factor que influencia a reprodução

Algumas pessoas acreditam que o achigã desova quando existe lua cheia. No entanto, não são as fases da lua que despoletam a desova, mas sim a temperatura da água. Nos EUA, donos de centros de reprodução de achigã, reportaram que os achigãs dos seus viveiros desovam em qualquer fase da lua, e que o pico da desova ocorre quando a temperatura da água se encontra entre os 17º e os 20º.

Deve ter-se em consideração que essa temperatura que despoleta a desova é a que se encontra nos locais onde os achigãs se encontram no processo de pré-desova, e não a temperatura da água nas zonas de águas mais baixas, onde normalmente fazem os ninhos.


O tamanho da amostra conta

É comum dizermos que se queremos apanhar grandes achigãs temos que utilizar amostras maiores. No entanto também todos sabemos que amostras pequenas apanham achigãs grandes, da mesma maneira que amostras grandes também apanham achigãs pequenos. Em estudos efectuados no EUA, foram oferecidos aos achigãs desde peixes pequenos até peixes com o tamanho máximo que conseguiriam comer, e os achigãs escolheram sempre as presas com um tamanho no centro desse intervalo. A questão deixa assim de ser apresentar amostras muito grandes, mas sim apresentar amostras correspondentes ao tamanho médio das presas que o achigã consiga comer. Sabe-se que um achigã consegue comer um peixe com até um terço do seu próprio comprimento.

Este exemplar, com 52cm, atacou um Dinger de apenas 4"

Este exemplar, com 52cm, atacou um Dinger de apenas 4″

Espero que o conhecimento destes factos vos ajude da próxima vez que encontrem uma situação de pesca menos favorável.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus