Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Olá a todos!

Hoje quero partilhar com todos vós os 5 maiores achigãs que capturei durante a primeira metade 2014.

De forma a tornar o artigo mais interessante, para cada um deles, irei descrever as condições da sua captura e as amostras utilizadas.

Apesar de pescar durante todo o ano, este ano só começaram a aparecer exemplares maiores em Maio.

Primeiro achigã grande

O primeiro registo de maior dimensão do ano apareceu no dia 28 de Maio, em pleno período de pós-desova.

A empresa Clickbaits tinha-me enviado uns swimbaits de vinis novos no mercado europeu para eu experimentar e ver se gostava pouco depois da abertura. Este foi o dia escolhido para fazer o primeiro teste das novas amostras. Na altura não tinha cabeçotes para o tamanho destes vinis, por isso decidi testá-los com um empate Texas, sem peso, para ver se mesmo assim nadavam a direito e até que ponto seriam ou não à prova de ervas.

Escolhi um dos locais com ervas onde gosto de pescar, e ao segundo ou terceiro lançamento, ao passar com a amostra junto a um tufo de vegetação densa tive o primeiro ataque… o resultado seria o maior exemplar de 2014 até ao momento.

1º achigã grande de 2014, capturado com uma USM da b8lab

1º achigã grande de 2014, capturado com uma USM da b8lab

A amostra utilizada foi a Ultimate Strike Minnow de 5″ na cor Pink Candy Crush, empatada à Texas sem peso, com um anzol 4/0 e fio fluorocarbono 0,28mm.

Segundo achigã grande

No início de Junho o calor começou a fazer-se sentir, trazendo consigo óptimas condições para pescar à superfície com sapos. Por esta altura tinha recebido da LiveTarget USA um pequeno pacote de oferta de algum merchandising, e tinha que “mostrar trabalho” como forma de pagamento… 🙂

Aproveitando então as condições favoráveis, comecei a pescar mais com o sapo da LiveTarget. Assim, no dia 5 de Junho, após sair do trabalho, rumei a um dos paraísos de pesca com sapos que conheço aqui na minha zona. Poucos minutos depois, conseguia o maior achigã de 2014 até então.

Achigã capturado com um sapo da LiveTarget

Achigã capturado com um sapo da LiveTarget

A amostra utilizada foi um sapo da Koppers LiveTarget castanho. Na altura estava a utilizar a minha nova cana Herakles – uma cana 7,6″ Heavy de acção rápida, com fio fluorocarbono 0,28mm.

Terceiro achigã grande

Estávamos em Junho, e por esta altura já tinha utilizado bastante, e com sucesso, os novos swimbaits da b8lab que me tinham sido oferecidos para testar.

No dia 12 de Junho fiz uma incursão depois do trabalho a um novo local de pesca com intuito de conseguir efectuar algumas filmagens para fazer um vídeo a incorporar no artigo que pretendia escrever sobre as USM.

Foi novamente uma pescaria com bastante sucesso, tendo capturado inúmeros achigãs, e onde consegui, novamente, com estas amostras, capturar outro achigã de bom porte. Nesta altura ainda não me tinham chegado os cabeçotes para testar com as amostras, continuando a pescar com o empate Texas sem peso. Desta feita, explorava uma margem cheia de atabuas, nadando a amostra ao longo da margem, junto à vegetação.

Bom exemplar capturado com uma USM da b8lab

Bom exemplar capturado com uma USM da b8lab

A amostra utilizada foi a Ultimate Strike Minnow de 5″ na cor Pink Candy Crush, empatada à Texas sem peso, com um anzol 4/0 e fio fluorocarbono 0,28mm.

Podem ver esta captura no vídeo que acabei por publicar juntamente com o artigo com as minhas conclusões dos testes destas amostras. O achigã da foto é a última captura, por volta do minuto 6:

Quarto achigã grande

Estávamos em finais de Junho e, como tenho feito todos os meses, aproximava-se a altura de escrever o artigo sobre as melhores amostras para achigã para o mês seguinte. Uma das amostras mais proeminentes nestes artigos têm sido os jigs, que mês após mês, têm sempre feito parte da lista das melhores amostras do mês.

Era então altura de arranjar material fotográfico para o artigo das melhores amostras para achigã em Julho, e desta feita decidi que iria dar ênfase aos jigs.

No dia 25 de Junho saí de casa para fazer uma sessão de pesca com jigs, e foi aí que fui brindado com mais um bom exemplar. Tal como indiquei na foto, era o terceiro achigã do dia.

Um bom exemplar capturado com um jig com atrelado

Um bom exemplar capturado com um jig com atrelado

A amostra utilizada foi um jig da Molix com uma amostra de vinil da Herakles, um tube crau, de cor chartreuse como atrelado.

Quinto achigã grande

No dia 28 de Junho tive a visita do amigo David Amado, dos Achigãs de Portugal. Como é habitual, levei-o a vários locais onde costumo pescar, incluindo um novo açude onde tinha estado duas semanas antes e que parecia ter muito boas condições para ter bons achigãs.

Estava calor, e decidi explorar a superfície junto a um recanto com muitos ramos submersos. Não tardou muito até ter o primeiro ataque, que se revelou outro bom peixe.

Mais um bom exemplar capturado à superfície, desta feita com uma amostra rija

Mais um bom exemplar capturado à superfície, desta feita com uma amostra rija – Dai Buzzn da OSP

A amostra utilizada foi uma Dai Buzzn da OSP. O conjunto era uma cana Quantum 6,6″ Medium de acção Fast com um carreto Shimano Chronarch e fio monofilamento 0,30mm.

No entanto, neste dia, o maior exemplar seria um grande achigã de o David Amado acabou por capturar com um sapo, cuja marca não me recordo, no mesmo local onde eu já havia capturado também com um sapo da LiveTarget o exemplar que aqui apresentei como o segundo maior peixe.

David Amado com o maior achigã do dia, capturado com um sapo

David Amado com o maior achigã do dia, capturado com um sapo

 

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus