Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

A pesca ao achigã por si só é um desporto interessante, divertido, relaxante, revitalizante, enfim, todo o tipo de adjectivos que possam imaginar que estejam ligados ao bem estar psicológico.

Mas nós, pescadores, ainda a fazemos mais interessante ao lhe adicionarmos a nossa marca pessoal, os nossos gostos pessoais e as nossas formas de pensar. Isto, aliado ao facto de não existir nenhuma lei/forma de pensar que seja 100% correcta, pelo facto das variáveis encontradas na água estarem constantemente em alteração, torna a pesca do achigã um desafio apaixonante, e dá motivos de sobra para longas conversas entre os seus amantes.

De entre todas as coisas que consigo imaginar, uma que acho particularmente interessante é a escolha das amostras. Nela podemos ver como todos nós somos tão diferentes uns dos outros, e se a isso juntarmos a escolha da cor, então aí é que vai ser mesmo difícil encontrarmos alguém que pense exactamente como nós.

Uma das várias capturas com os novos senkos da BioSpawn, os ExoStick Pro

Uma das várias capturas com os novos senkos da BioSpawn, os ExoStick Pro

Em relação à escolha de amostras, o que mais me surpreende é a forma como fazemos os nossos juízos sobre as que são boas, e as ideias pré-concebidas que temos sobre alguns tipos de amostras, achando de antemão que não apanham peixe, sem sequer as termos experimentado. E ainda mais interessante é quando me pedem uma opinião sobre que amostra utilizar e, quando eu digo que amostra usar, me dizem que não pode ser, que isso não apanha peixe!

É um facto que uma amostra que possa ter produzido bons resultados hoje, não tenha a mesma prestação amanhã mas, quando me colocam a questão sob o ponto de vista de qual é a melhor amostra, a resposta que dou é com base na minha experiência, e com base na eficácia média da amostra.

Colocando a questão de uma forma mais simples, se apenas pudesse levar um tipo de amostra comigo, que amostra levava?

Pessoalmente não tenho dúvidas, levava um stickbait de vinil, ou seja, uma amostra tipo senko. A sério! Este tipo de amostras é provavelmente uma das que apanha mais peixe em todo o mundo.

Um bom achigã capturado com um Exostick Pro da BioSpawn na cor Brown Gold Flake

Um bom achigã capturado com um Exostick da BioSpawn na cor Brown Gold Flake

Uma reacção comum que obtenho quando dou esta resposta é “A sério? Isso não se parece com nada!”, ou ainda “Mas já experimentei uma vez e não apanhei nada. Será que a usei mal?”.

A minha resposta à primeira reacção é “Sim, não se parece com nada, mas os peixes gostam”, e à segunda respondo “Só porque usou uma vez, se calhar por pouco tempo, sem ter apanhado nada significa que a amostra não presta? Possivelmente até a colocou num momento em que não estava a dar peixe com mais nada. Estava à espera que fosse uma amostra milagrosa?”.

Chamo ainda a atenção para o caso em que os pescadores apenas usam a técnica que gostam mais… Isso é um erro. Uma vez um pescador disse-me “as amostras que gosto mais são as que estiverem a apanhar peixe”. Gosto de pescar com senkos, mas não é a minha forma preferida. Prefiro pescar à superfície. No entanto para mim, os vinis tipo senko são sem dúvida a minha escolha se apenas me deixarem escolher uma amostra.

Agora já conhecem a minha escolha. E vocês, que amostra escolhiam? Deixem um comentário no final desta página 😉

Outros artigos sobre senkos:

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus