Como já vem sendo hábito desde 2010, também este ano não falhei a abertura da pesca ao achigã no passado dia 16 de Maio. Este ano, com o Tiago Ramalho a fazer também parte da equipa, e com o Nuno Duarte a conseguir apenas tirar férias no dia 17 de Maio, para mim e para o Tiago era uma abertura de 2 dias!

O plano para este ano era fazer a habitual “rota dos açudes” no dia 16 com o Tiago, e no dia 17, já com o Nuno, irmos passar o dia a uns açudes de uma herdade aqui da zona de Coruche.

Ao contrário das condições climatéricas existentes no ano passado, este ano estava frio, tempo nublado, e alguns períodos de chuva, tendo em alguns casos chega a ser chuva forte, mas sempre de curta duração.

Dia 16 de Maio – abertura da pesca ao achigã

Com encontro marcado em minha casa para as 9h, entre carregar o material e não carregar, conversa daqui e dali, chegamos ao primeiro açude por volta das 10h.

Combinamos entre ambos que iríamos começar a pescar à superfície, e com amostras novas ou que nunca tivessem apanhado nada… Assim, eu optei pelo único sapo que faz parte do meu estojo de pesca, e o Tiago começou com um popper a estrear da Rapala.

Poucos minutos depois de começarmos a pescar, eis que tenho o primeiro ataque ao sapo. Recuperar a linha rapidamente e lançar para o mesmo local… Outro ataque! Recuperar a linha rapidamente e lançar para o mesmo local… Novo ataque! Desta vez nem fiz para cravar o anzol, pois pensei que das outras duas vezes tinha puxado cedo demais e tinha tirado o sapo da boca do peixe sem que este o conseguisse comer bem… Masn NADA! Um segundo após o ataque o sapo apareceu à tona da água… hhmmm… O que estaria a correr mal, pensei eu… Se calhar o peixe era pequeno demais para conseguir comer o sapo, e como a superficie da água estava totalmente coberta com lismos espessos, ainda dificultava mais! É que o peixe estava a atacar o que sentia a passar por cima dos lismos, pois naquele local eram de tal forma espessos, que não conseguia ver o que passava lá por cima. É um daqueles casos em que a cor da amostra é indiferente!

Resolvi então não chatear mais o peixe com o sapo… 😀

Dinger em empate Texas sem peso, lançar para o local do último ataque… Novo ataque quase imediato, e primeiro peixe da abertura!!

Entretanto, também o Tiago abandonou a popper e passou para um Senko sem peso… Pouco tempo depois conseguiu também o seu primeiro achigã da abertura.

1º achigã da abertura - Tiago

1º achigã da abertura – Tiago

Já devia passar das 11h e resolvemos mudar de açude… Fomos para um dos que era um dos meus açudes preferidos e que, não sei muito bem porquê (mas desconfio), deixou de dar peixe… Mas era um novo ano, e tínhamos que ir lá tentar.

Devemos ter ficado por lá até quase ás 12h, altura em que começou a chover com mais intensidade. Sem ter picadas e sem ver peixe, achamos melhor ir até casa ver como estava o almoço! :p

Ainda não tínhamos chegado a casa e já tinha parado de chover… Ficámos também a saber que o almoço só estaria pronto ás 13h… Tínhamos ainda 1 hora para pescar… Aí fomos nós novamente, mas desta vez para o “açude de testes”… é que com tão pouco tempo, o melhor mesmo era irmos para um local que sabíamos que tinha peixe de certeza!! 😉

Experimentar mais umas amostras novas e nada… Sinceramente já nem me recordo se apanhámos alguma coisa, mas se apanhámos, certamente não mereceu registo. De volta a casa e ao almoço. Como bons portugueses, e “bons pescadores”, depois de almoço tivemos a passagem obrigatória pelo café da terra, com direito menu completo!

Combustível para o espírito

Combustível para o espírito

Depois de animarmos o espírito, fomos experimentar um novo açude. Este era diferente de todos os outros, pois a pesca da margem, apenas conseguimos pescar a uma distância curta, tal a quantidade de vegetação existente. Com resultados dados da parte da manhã, a técnica manteve-se: passear os senkos por cima da vegetação, próximo da margem.

Ainda nem estávamos a pescar à 15 minutos e… Captura de um dos melhores exemplares que alguma vez apanhei!!

Melhor achigã da abertura 2013 - Alberto

Melhor achigã da abertura 2013 – Alberto

Depois deste, insistimos bastante, mas não se conseguiu capturar mais nada, nem grande, nem pequeno.

Mudámos de açude novamente. Aos primeiros lançamentos, o Tiago captura o que até agora deverá ser o troféu miniatura até ao momento 🙂

Achigã miniatura - Tiago

Achigã miniatura – Tiago

Mais uns lançamentos, muito tempo a andar a dar a volta ao açude e nada!

Com o dia a chegar ao fim, estava a hora de ligar ao Nuno que tinha ido trabalhar, para o deixar cheio de pena por não ter estado presente e ter a oportunidade de apanhar um exemplar troféu… 😀

Acabámos o dia num açude que no ano passado tinha dado bons peixes, mas que desta vez, ou pelo frio que já se fazia sentir no final do dia, ou por qualquer outra razão, não ofereceu qualquer captura.

Concluímos assim a nossa abertura com um dia que podemos considerar produtivo, pois apesar de pouco peixe, com as condições climatéricas que estavam, acabámos por conseguir alguns peixes de qualidade.

No dia 17 de Maio fomos novamente à pesca, mas já fomos os 3, no entanto, e como este artigo ficou mais extenso do que tinha imaginado, vou guardar esse relato para um próximo artigo.

Aproveito apenas para relembrar que estamos a OFERECER amostras de vinil. Vejam como as ganhar aqui.

Aproveitamos ainda para agradecer à Design Aqui pela oferta dos blusões que se revelaram uma verdadeira mais valia com as condições climatéricas que se fizeram sentir!

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus