Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Agosto é o nosso mês de férias por excelência. Para muitos pescadores de achigã isso significa descansar da pesca também e dedicar um pouco mais de tempo à família… Não tem exactamente de ser assim… Levar a família à pesca do achigã pode ser um desafio e um risco, mas se não experimentarmos nunca iremos saber.

É muito importante que a nossa família nos apoie nos nossos passatempos. Torna-se tudo mais fácil na convivência do nosso dia-a-dia.

Eu conheço pessoas para quem pescar é um ato solitário e que deixam a família de fora desse seu «descanso de tudo»… Até mesmo da família. Conheço alguns que até são menosprezados por se dedicarem à pesca, funcionando a família como uma espécie de «força de bloqueio» contra a pesca… Parece-me que não passa de muitos anos de mal-entendidos acumulados que atingem um ponto de saturação de tal ordem que o pescador se sente forçado a isolar-se na sua actividade lúdica preferida. Há casos extremos que terminam muito mal, mas nem vale a pena falar disso até porque todos nós conhecemos casos desses.

Introdução dos mais novos na pesca do achigã

Introdução dos mais novos na pesca do achigã

Os verdadeiros pescadores ganham uma paixão por esta actividade que se lhes torna impossível estar bem sem uma pescaria de vez em quando, será uma espécie «lavar de alma» que tanta falta faz a todos. Muita gente me disse até hoje que, quando estou algum tempo sem ir à pesca, me torno insuportável… E deve ser verdade. Recentemente estive fora do país e estive largos períodos de tempo sem poder pescar, fruto da lei do país em que estava, e, na verdade nunca me senti bem por lá… Não foi por acaso.

Mas voltando às férias que é o ponto de partida para esta prosa…

Pelo menos tente! Tente organizar uma jornada de pesca com a sua família mais próxima. Já sabe que nesse dia não vai pescar grande coisa, mas que interessa isso se pode fazer mais um ou dois pescadores para o resto da vida? Quem sabe se vai arranjar companhia permanente para as suas pescarias? Vale a pena tentar e o verão é a melhor fase do ano para isso.

Introdução dos mais novos na pesca do achigã em grupo

Introdução dos mais novos na pesca do achigã em grupo

Se quer um conselho meu… Deixe-os ir à praia de manhã, almoçar, dormir a sesta e, depois, lá para meio da tarde, desloque-se com toda a gente para perto de uma massa de água, leve um bom piquenique, escolha uma boa sombra e… Ao entardecer, monte uma amostra de superfície, uma popper, por exemplo, e convide os presentes a tentar… Vai correr grandes riscos, é certo, pode nem sequer conseguir que capturem, mas, uma coisa é certa, vão adorar aquela animação que você já domina e talvez comecem, pelo menos, a entender a sua paixão…

Lembre-se que o objectivo é introduvir os mais novos. Deixe-os serem eles a pescar. Ofereça-lhes indicações e apenas intervenha caso seja mesmo necessário

Lembre-se que o objectivo é introduvir os mais novos. Deixe-os serem eles a pescar. Ofereça-lhes indicações e apenas intervenha caso seja mesmo necessário

Depois mostre-lhes como se anima um passeante… Lindo! Mostre-lhes o nadar errático de um jerkbait… Enfim, dê-lhes uma chance de compreenderem tudo o que lhe proporciona essa experiência. Explique-lhes que os achigãs se «caçam», uma vez que temos de os procurar em vez de ficarmos à espera dos ataques. Mostre-lhes tudo o que puder da sua paixão pela pesca do achigã. Se conseguir que alguém ferre um, comente a luta e ajude o iniciado ao mesmo tempo. Se for você a conseguir um ataque, ferre, mostre como se «trabalha» um achigã em luta para o conseguir dominar, mostre como se lhe deve pegar para a fotografia. Mostre-se interessado em ajudar cada um que tentar e rejubile com as eventuais capturas dos outros. Tente resistir a «ser o melhor» nesse bocado de tempo, faça com que os outros se sintam bem no que estão a fazer.

Tente! Pode ser que não resulte como forma de angariar mais pescadores, mas, pelo menos, partilhou a sua paixão com os que mais ama e deu-lhes uma oportunidade de compreenderem o seu ponto de vista.

Sou capaz de apostar que os seus filhos, um dia, vão contar aos filhos deles que foi assim que começaram a amar a pesca e este predador extraordinário.

As primeiras capturas serão um grande incentivo, independentemente do tamanho dos exemplares

As primeiras capturas serão um grande incentivo, independentemente do tamanho dos exemplares

No final de tudo, não se esqueça, explique porque se devem libertar os achigãs e mostre como se deve fazer para lhe garantir a possibilidade de sobreviver para outras «faenas».

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook