Nas minhas incursões de final de tarde, que costumo fazer durante a semana sempre que posso, tenho 2 ou 3 açudes onde sei que terei bons resultados cerca de 80% ou 90% das vezes. É a estes que vou quando já saio muito tarde de casa… E tenho outros 2 ou 3 açudes onde sei que os bons resultados são mais difíceis, onde só vou se tiver mais tempo… Isto deverá acontecer com a maioria de vocês – cada um tem aqueles sítios onde já sabe como o peixe se comporta, o que resulta em bons resultados.

No entanto, por vezes as condições alteram-se, e o que poderíamos considerar como o nosso “santuário”, pode tornar-se num local bastante difícil! Foi isto que aconteceu com o meu açude preferido para “rapidinhas”! 🙁

No meu caso, trata-se de um pequeno açude, que desde 2009 (quando o “descobri”) sempre teve uma extensa cobertura de lismos, o que torna a pesca bastante técnica, o que me agrada bastante!!

Como na minha zona sou das poucas pessoas que pratica a libertação do peixe, e tendo esse açude uma densa cobertura, torna-o pouco atractivo para a pesca a quem procura encher o saco de forma fácil. Assim sendo, resolvi não exercer muita pressão de pesca nesse local…

Quando lá voltei no dia 15 deste mês, pelo fim da tarde, tive um enorme surpresa… a vegetação que cobria a quase totalidade da água DESAPARECEU!!! Quem não tenha visto o açude antes, não conseguirá imaginar sequer como era antes…

Este ano apenas lá tinha ido 2 vezes, uma quando fiz a primeira incursão em Fevereiro, foi lá que fui, tendo apanhado lá o 1º achigã de 2011. A segunda vez foi na abertura da época 2011/2012. Nessa altura, a cobertura da água é bem visível na foto:

Primeiro achigã da época 2011/2012

Primeiro achigã da época 2011/2012

No dia 15 deste mês, quando lá regressei o cenário era irreconhecível:

Bom achigã capturado e libertado numa incursão ao final da tarde

Como se pode ver na imagem, da cobertura nem sinal…

Esta alteração pareceu-me muito estranha… Apesar de ter efectuado duas capturas, sendo que um dos exemplares demonstrava uma cicatriz de já ter sido capturado (colheita de frutos da libertação dos peixes que capturei no ano passado), esta alteração veio afectar bastante o comportamento do peixe, tendo sentido alguma dificuldade na sua localização (agora mais dispersa).

A partir de agora vou começar novamente a ir lá com mais regularidade, pois com estas condições, se não os for picando, os “senhores da saca” ficam com a vida muito facilitada!

Quanto ao desaparecimento da vegetação, a única coisa que me ocorre será o facto de poder ter havido uma alteração nos níveis de alguma substância existente na água que era propícia à sua proliferação… Alguém tem uma explicação concreta para este acontecimento?

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus