Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Saber quais as amostras indicadas para a época do ano em que nos encontramos, embora não seja garantia de sucesso, é sem dúvida uma grande ajuda para qualquer pescador de achigã, que dessa forma pode concentrar a sua atenção num menor número de amostras, evitando distracções com amostras “menos indicadas”.

Esta informação torna-se ainda mais relevante no caso da pesca de margem e/ou pato, pois nessas condições quanto menos peso tivermos que carregar melhor. Desta forma, ao sabermos quais as amostras mais indicadas em determinado momento, podemos organizar o estojo com base nessas amostras, não sendo necessário carregar com outras que eventualmente não terão tão bons resultados.

Ao contrário do que tenho vindo a fazer durante os outros meses, em que a rubrica das melhores amostras do mês têm por base as amostras que nos últimos 4 anos (2010 a 2013), foram indicadas pelos Pros norte americanos, na revista BASSMASTER, como sendo as amostras que eles utilizam, para o mês de Outubro esta é uma escolha pessoal, sendo portanto este um artigo de opinião.

Assim sendo, desta vez irei indicar concretamente as amostras que gosto de utilizar, incluindo a marca e modelo.

Amostras para o mês de Outubro

Outubro marca a transição entre o Verão e o Outono. Os dias estão mais frescos, mas em muitos casos a temperatura da água ainda não baixou para valores demasiado frios. É uma altura de grande actividade dos achigãs, que se encontram “a comer” para se prepararem para os rigores do Inverno.

Sempre que posso, pesco à superfície, pois em breve isso deixará de ser possível.

Em águas abertas dou preferência a passeantes, amostras de hélices e wake baits, tendo nos últimos tempos utilizado mais os últimos do que as passeantes, principalmente porque requerem menos acção da parte do pescador, tornando-se menos cansativos. Regra geral utilizo as passeantes na ausência de vento, ou se apenas se sentir uma brisa ligeira. As amostras de hélices quando existe vento e, no caso dos wake baits, penso que se adaptam bem a ambas as situações.

OSP Dai Buzzn' - se tivesse que escolher apenas uma amostra de superfície, esta era provavelmente a minha opção

OSP Dai Buzzn’ – se tivesse que escolher apenas uma amostra de superfície, esta era provavelmente a minha opção

Com os achigãs a alimentarem-se activamente, tenho tido bons resultados com os swimbaits de vinil da b8lab. Com uma gama de cores capaz de cobrir todas os cenários, têm-se revelado uma boa opção sempre que os achigãs estão a “ir a trás” das amostras. Se optarem por tamanhos maiores, de 5 polegadas, por exemplo, as capturas tenderão a ter melhores tamanhos.

Ultimate Strike Minnow da b8lab na cor Limetreuse

Ultimate Strike Minnow da b8lab na cor Limetreuse

Para locais de águas pouco profundas (até 1,5 metros), com fundo de areia ou pedras, a minha escolha são crankbaits de pala quadrada. Desta forma podemos aproveitar os achigãs mais activos em águas baixas. Actualmente utilizo crankbaits personalizados. Falando de marcas, gosto dos crankbaits da Strike King nos tamanhos desde o 1.5 ao 2.5. São boas amostras e a um preço acessível.

Caixa de cranks bem organizada

Caixa de cranks bem organizada

Para águas mais profundas, com ocorrência de alguma vegetação prefiro jigs normais e com lâmina. Os normais permitem pescar o fundo, enquanto que os com lâmina proporcionam-me uma utilização semelhante a um crankbait, com a vantagem adicional em relação ao crankbait, que é o facto de com uma única amostra conseguir cobrir a totalidade da coluna de água, desde a sub-superfície até ao fundo, independentemente da profundidade. No entanto, em locais com fundos de areia ou rochosos, os crankbaits são a melhor escolha.

Jigs - um aspecto importante é a escolha dos tipos de cabeçotes adequados ás condições encontradas

Jigs – um aspecto importante é a escolha dos tipos de cabeçotes adequados ás condições encontradas

Conclusão

As minhas escolhas para o mês de Outubro são em tudo semelhantes ás escolhas de alguns dos profissionais para o mês de Setembro…

A transição do Verão para o Outono faz com que os achigãs fiquem mais activos, a pesca de superfície continua a dar bons resultados e a utilização de amostras que cobrem mais água como crankbaits ou spinnerbaits é também uma boa opção.

Hermínio Rodrigues com uma boa captura com um swimbait de vinil

Hermínio Rodrigues exibe uma boa captura com um swimbait de vinil

Em dias nublados podemos pescar à superfície praticamente durante todo o dia com sucesso. No entanto, se actividade à superfície parar, podemos sempre continuar com swimbaits de vinil, crankbaits ou spinnerbaits.

Em locais em que a temperatura da água já tenha descido consideravelmente, o período da hora de almoço começa a ser mais produtivo que o inicio da manhã ou o fim do dia.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus