Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Há coisas que nos marcam… Ontem fui à pesca com dois amigos, pai e filho, do País de Gales.

Gente normal. Pescadores de tudo o que houver para pescar por perto… Deliciei-me com a companhia, como me delicio com a companhia de todos os meus amigos pescadores.

Ao terminar o dia, a pescaria não era de monta, mas os pescadores estavam felizes. Interroguei-me… Muito… de tal forma que acabei por perguntar: «Vocês estão tão felizes, não é da pescaria pois não?» Pai e filho sorriram e, passados uns minutos, o mais velho veio ter comigo…

Um sorriso de orelha a orelha e um certo ar lacónico, abeirou-se e disse:

«Há quatro fases na vida de um pescador…»

… E continuou com uma conversa que envolvia o velho mito de que quando começamos a pescar queremos apanhar muitos peixes…

… Com o tempo, evoluímos e queremos pescar um peixe grande…

… Depois, mudamos e queremos apanhar muitos peixes grandes…

Em 1998 artingi a minha terceira fase - muitos peixes grandes

Em 1998 artingi a minha terceira fase – muitos peixes grandes

Conhecedor de muitas conversas destas, eu não me contive e disse:

«… Disse-me um amigo alemão, que de seguida queremos pescar o peixe impossível…»

A resposta dele foi acompanhada de um abanar de cabeça lateral, nitidamente em discordância…

Fez uma longa pausa e, finalmente, respondeu:

«Não! A quarta fase é a mais simples… nem muitos nem grandes, queremos apenas pescar…»

Não esperava esta resposta de um senhor de mais de 70 anos de idade.

Será que um dia vou ser assim? Já fui algumas vezes, mas sempre? Não!

A ver se me entendem. Concordo com ele, e cada pescador vive a pesca como a sente. Se ele sente assim, óptimo para ele. Não me contive, mais uma vez e acabei por lhe desfazer a teoria das quatro fases… E nem demorei muito tempo, saiu-me quase naturalmente…

A minha resposta foi assim:

«Depois de tentares de tudo, a melhor forma de estares na pesca é a partilha…»

Ele ficou algo perplexo e perguntou:

«A partilha de quê?»

Então, respondi:

«A partilha do que aprendeste com todos os que começam.»

Ele olhou-me com calma e sorridente e disse-me:

«É verdade! A teoria das quatro fases está errada. Há muitas mais fases e cada um segue a sua… Tu, por exemplo, fizeste-te guia de pesca… Que extraordinária quinta fase!»

A fase da divulgação não é atingida por todos... Mas, se cada um de nós fosse um divulgador, haveria mais pescadores felizes

A fase da divulgação não é atingida por todos… Mas, se cada um de nós fosse um divulgador, haveria mais pescadores felizes

Vi um brilho nos seus olhos que não me deixavam dúvidas. Ele tinha adorado o dia que lhe pude proporcionar, mesmo que só tivesse pescado uns quinze peixes, ele sabia que eu fiz tudo o que estava ao meu alcance para que o dia corresse bem e para que ele pescasse o maior número de peixes possível.

Nesse dia de pesca foram capturados e libertados mais de vinte peixes… Não eram achigãs… mas o que conta para mim, é que os pescadores tiveram um dia feliz… E mais… Descobriram que a pesca é mais rica do que os chavões que se lhe tentam impor.

Vão à pesca! Divirtam-se! E libertem as vossas capturas!

Peixes grandes... Este não é meu, mas é grande e quem o pescou estava feliz e gostou da minha ajuda

Peixes grandes… Este não é meu, mas é grande e quem o pescou estava feliz e gostou da minha ajuda

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook