Não posso deixar passar os dias sem fazer uma homenagem ao nosso amigo que agora nos deixou.

Além de um grande amigo e de um excelente companheiro de pesca, Ventura era um homem acessível a todos, de uma simplicidade natural que sempre respondia a todos os pedidos.

Foi assim que, com uma ajudinha do José Manuel «do Peixe à Porta» (desculpa o apelido Zé, mas era assim que te conhecíamos), me levou à pesca um dia.

Nunca esquecerei esse encontro e recordo-o agora como se o estivesse a viver. Desde que cheguei a casa dele até acabarmos o dia bebi da sua sabedoria de pesca e das coisas da vida.

Fomos pescar à sua barragem favorita, ao Pego do Altar, e tivemos um dia espectacular. Deixou-me pescar à vontade, à frente no Lailoca (que era o seu barco), durante toda a manhã e ambos capturámos alguns bonitos achigãs. O dia estava solarengo e radiante, como eu, o senhor Ventura foi gabando a minha técnica e tentando melhorar aqui e ali as minhas falhas de principiante.

Mas eu tinha ido para aprender a executar o flipping e não havia meio… só me dizia que quando chegassem as condições certas, se chegassem, que ambos nos divertiríamos muito.

Comemos a «bucha» e, pela hora de regressarmos, levantou-se um ventinho… Já estávamos a chegar ao barco quando me disse: «Agora sim, podemos treinar um pouco»… à entrada no largo de Santa Suzana, nas pedras do lado direito de quem vem do paredão, começou a explicar… E a capturar, capturar… Até que me disse: «Venha para aqui para perto de mim, podemos fazer flipping os dois». E assim foi. Em menos de nada estávamos os dois a apanhar peixe a seguir a peixe…

Já conhecia o senhor Ventura, mas nesse dia passámos a ser mais próximos e a amizade desenvolveu-se com o tempo. Apenas com a minha primeira vinda para a Alemanha deixei de o poder visitar, na sua garagem, onde nos maravilhava com os relatos das suas últimas pescarias e de outras tantas mais antigas que sempre vinham à baila.

Não quero adjectivar mais o nosso amigo, já toda a gente o fez e eu também… Apenas quero deixar «um até sempre», porque a sua obra fica!

Na sua garagem com um tubejig na mão, contava mais uma das suas muitas e boas pescarias. ATÉ SEMPRE AMIGO!!!

Na sua garagem com um tubejig na mão, contava mais uma das suas muitas e boas pescarias. ATÉ SEMPRE AMIGO!!!

 

 

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook