Teve lugar nos passados dias 19 e 20 de Maio as duas primeiras provas do Campeonato Nacional de achigã de margem.
Foi a minha estreia absoluta em qualquer tipo de prova de pesca ao achigã, e do Nuno Duarte também.
Um pouco cépticos, como é normal quando vamos a um destes eventos pela primeira vez, e sem conhecermos ninguém, a não ser pela internet, lá fomos no sábado para a Herdade de Cadouços, com partida ás 5h da matina… Depois de uma noite de cuva intensa, e com chuva durante a deslocação, a jornada não se adivinhava fácil. Com concentração marcada para as 06:15, chegámos por volta das 05:45, 30 preciosos minutos de sono desperdiçados:), mas como nunca lá tinhamos ido, não sabíamos ao certo quanto tempo de viagem seria. Fomos assim os primeiros a chegar. O estado do tempo foi melhorando e à medida que outros atletas foram chagando, logo percebemos que as provas iriam ser marcadas por um bom ambiente entre todos os participantes, tendo todos sido bastante simpáticos para com os novatos que ali se encontravam.
Efectuado os sorteios, eu fiquei com o Luís Garrido, e o Nuno com o João Oliveira. Tanto eu como o Nuno desconheciamos por completo os locais da prova, mas ambos os nossos colegas já lá tinham pescado na prova do ano passado. Assim, as coisas ficaram um pouco mais fáceis, pois eles já tinham uma noção de quais poderiam ou não ser os melhores locais.
Chegada a hora, todos os grupos de pescadores se dirigiram para os respectivos sectores que lhes haviam calhado em sorteio.

A caminho do sector da primeira manga...

A caminho do sector da primeira manga…

Na primeira manga, fiquei praticamente frente ao Nuno, o que seria uma coisa boa pois teríamos uma ideia do que cada um estaria a fazer. No entanto, o local por ele escolhido não foi bom, e pouco tempo depois deslocou-se com o seu parceiro para uma zona que todas as outras duplas evitaram… Entretanto, eu lá ia vendo como as coisas funcionavam, mas rapidamente reparei que não existiam condições para o tipo de pesca que prefiro – Dinger, com empate Texas sem peso, uma vez que o vento que se fazia sentir no local onde me encontrava tornava a queda do vinil muito lenta, e acabava por se deslocar muito na horizontal, e pouco  na vertical.

Aspecto do local onde iniciámos a acção de pesca na primeira manga

Aspecto do local onde iniciámos a acção de pesca na primeira manga

Foi então que, o meu companheiro de manga Luís Garrido, após já ter apanhado 2 peixes entre os 26 cm e 27 cm, me encorajou a utilizar cranks. Uma vez que a água era de cor clara, e estava um uma manhã com algumas nuvens e muito vendo, optei por uma das minhas últimas aquisições, com a qual ainda nunca tinha pescado, uma Rapala DT (Dives-to) Series. O único problema é que não era shallow, e como existia muita vegetação no fundo, tinha que estar com a ponta da cana na vertical… no entanto a escolha resultou, e rapidamente apanhei 2 peixes, ligeiramente maiores que os do Luís…

Rapala DT (Dives-to) Series, com que apanhei os 2 achigãs da manga da manhã

Rapala DT (Dives-to) Series, com que apanhei os 2 achigãs da manga da manhã

No entanto, a minha pouca experiência com cranks (e tendo poucos para escolher) levou-me a tentar novamente os vinis, mas voltei a não ter sucesso, tendo terminado a manhã apenas com 2 peixes.

O Nuno, ao ter arriscado o local que todos pareciam evitar no sector dele, arrebatou o primeiro lugar desse sector, com 7 achigãs!

De tarde, pescou-se noutra barragem diferente, mas as condições climatéricas agravaram-se, e os resultados foram maus para todos… Eu obtive a minha primeira grade! 🙂 No entanto não estava sozinho, pois o pessoal que tinha ficado no sector da parede (onde estava o Nuno) “gradou” todo, e no meu sector apenas houve uma captura. Assim, no final do dia, a minha melhor manga acabou por ser a da tarde, com grade! 🙁

Local onde iniciei a acção de pesca na 2ª manga de Sábado

Local onde iniciei a acção de pesca na 2ª manga de Sábado

No domingo, a 1ª manga foi na última  barragem onde tínhamos pescado no Sábado. O tempo esteve pior que no Sábado, e a chuva foi uma constante nas duas mangas, tendo chegado a ser bastante forte na manga da tarde.

1ª manga de Domingo. À espera do toque de início de prova. A chuva foi uma constante...

1ª manga de Domingo. À espera do toque de início de prova. A chuva foi uma constante…

No Domingo o Nuno ficou nos mesmos sectores que eu… Na primeira manga, perdi o único peixe que dava para pontuar – um belo achigã com perto de 1Kg, o que me teria dado o primeiro lugar, mas assim voltei a “gradar”, como toda a gente… A amnhã foi muito díficil, só tendo sido apanhado um achigã pontuável, em 27 pescadores…

Fiquei um pouco decepcionado, visto que teria sido mesmo fantástico se tivesse conseguido tirar aquele peixe… Já tinha passado por praticamente todo o tipo de amostras e encontrava-me a pescar com jiggs. No entanto, não tenho absolutamente experiência nenhuma com este tipo de amostras, e isso, aliado a uma má cana para a pesca com este tipo de amostras deverá ter estado na causa de não ter cravado o peixe em condições, dento-o visto a cair na água a cerca de um metro de mim… 🙁

Seja como for, tinha preparado o estojo para fazer uma boa pescaria na 2ª manga, que seria no primeiro local onde tínhamos pescado no Sábado de manhã. Depois de ter visto as condições do local, no Sába à noite, ao chegar a casa, liguei o Nuno Charrua, para me emprestar algumas das amostras rígidas dele, uma vez que eu tenho poucas para aquelas condições, e estava confiante! 🙂

Alguns cranks que levei para a 2ª manga de Domingo

Alguns cranks que levei para a 2ª manga de Domingo

Dado os resultados que tinha obtido no dia anterior naquele local, estava com algumas esperanças de boas capturas com o crank do topo superior esquerdo da imagem anterior… 🙂

No entanto, e apesar de ter ficado praticamente no mesmo local do dia anterior, os resultados não apareceram, tendo fica eu pela grade e o Nuno com um peixe.

Independentemente dos resultados, a experiência valeu a pena. Gostámos bastante do ambiente tanto nas provas como fora delas, e estamos empenhados em obter melhores resultados nas próximas duas provas.

Para terminar, falta apenas dizer que o Nuno Duarte se encontra no grupo dos terceiros, com 6 pontos, e eu nos antepenúltimos (convém dizer que os 2 últimos faltaram!) com 9 pontos. Em primeiro, isolado, ficou o Luís Correia com 3 pontos. Podem consultar aqui as classificações do campeonato nacional de achigã de margem.

Um abraço a todos os que participaram nestas duas provas. Encontramos-nos em Julho! 😉

Veja aqui » Rescaldo da 3ª e 4ª provas do Campeonato National de Pesca ao Achigã de margem 2012

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus