Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

O ratio de um carreto é normalmente a variável indicativa da velocidade de um carreto, e é fácil de compreender após percebermos o que querem dizer os números.

6.3:1? 5.2:1? 7.3:1?

O número antes dos dois pontos indica o número de voltas que o tambor (bobine) do carreto dá por cada volta completa da manivela.

Assim, um ratio de 6.3:1 significa que o tambor do carreto dá 6,3 voltas com uma volta completa da manivela. Quanto maior for o primeiro número, mais linha se consegue recolher com uma única volta da manivela. Por outras palavras, mais rápida é a recuperação da linha.

Os crankbaits de profundidade, com palas muito grandes, afundo muito e provocam uma grande dispersão de água, o que faz com que seja extremamente cansativo a utilização de carretos rápidos para pescar com este tipo de amostras. É por isso que existem em quase todas as marcas alguns modelos específicos para cranks, cujo ratio é normalmente na casa dos 5.1:1. Apesar de serem carretos mais lentos, são excelentes e específicos para este tipo de crankbaits de grande profundidade.

Como saber a velocidade de um carreto

Fonte: BASSMASTER

Outro factor a ter em conta será a situação em que se pretendem utilizar. Em provas, por exemplo, um carreto como o Abu Garcia Revo Winch é excelente para spinnerbaits. O seu ratio de 5.4:1 permite efectuar 5% mais lançamentos durante uma prova que um carreto com ratio de 5.1:1, o que poderá ser um factor de peso no final da prova, visto que quantos mais lançamentos conseguirmos efectuar, mais hipóteses teremos de apanhar peixe.

Apesar da Abu Garcia ter lançado recentemente o Revo Rocket, com um ratio de 9.0:1, diria que o “standard” dos ratios mais elevados será os 7.0:1. Estes carretos proporcionam uma recolha de linha bastante rápida, e são ideais quando estamos a tentar “bater água”, à procura dos achigãs.

Actualmente um ratio “médio” será na casa dos 6.3:1. Tal como já havia referido no artigo sobre como escolher um carreto de pesca ao achigã, esta deverá ser a escolha a fazer se não tiver orçamento para comprar um carreto com ratio de 7.0:1, e deverá conseguir cobrir a esmagadora maioria das técnicas actuais de pesca ao achigã.

A velocidade não se vê só no ratio

O ratio de um carreto não é a única coisa determinante da sua velocidade. Um factor que é normalmente esquecido é o IPT – Incher Per Turn (polegadas por volta). Isto refere-se à quantidade de linha recolhida a cada volta completa da manivela.

A industria dos carretos não está estandardizada em relação à velocidade e ratio. Cada marca tem a sua própria maneira de se referir a estas variáveis. O tamanho e capacidade dos tambores dos carretos é diferente de marca para marca. Dois carretos com o mesmo ratio, mas com tambores de tamanhos diferentes têm uma taxa “IPT” diferente. Na verdade, isto até se verifica em modelos diferentes do mesmo fabricante.

Entretanto, vários fabricantes têm tentado clarificar a questão do ratio dos seus carretos. Actualmente é fornecido, além da indicação do ratio, informação da quantidade de linha recolhida por cada volta completa da manivela. Este valor é o indicador da velocidade “real” do carreto. Se estivermos a ver catálogos e a tentar comprar carretos, é preciso ter em atenção estas duas variáveis – ratio e IPT, ou quantidade de linha recolhida por cada volta da manivela.

Na tabela que se segue, pode ver-se as diferenças do “IPT” entre marcas para os ratios 6.2:1, 6.3:1 e 6.4:1.

Ratios e “IPT” de vários carretos de casting

Marca Modelo Linha recuperada Ratio
Abu Garcia Revo® Premier 28″ (71,1cm) 6.4:1
Abu Garcia Revo® Toro 61HS 31″ (78,7cm) 6.4:1
Abu Garcia Revo® Skeet Reese 24.4″ (62cm) 6.4:1
Daiwa Zillion TDZLN100HA 28″ (71,1cm) 6.3:1
Daiwa Steez 103HA 26″ (66cm) 6.3:1
Quantum KVD PT Baitcast KVD101SPT 26″ (66cm) 6.3:1
Quantum Tour Edition Baitcast TE101SPT 27″ (68,5cm) 6.3:1
Shimano Core CORE100MG 26″ (66cm) 6.2:1
Shimano Citica CI201E 27″ (68,5cm) 6.3:1
Pflueger President PFLPRESIDENTLP 25″ (63,5cm) 6.4:1

Tal como se consegue ver na tabela anterior, a quantidade de linha recuperada varia de modelo para modelo, mesmo que da mesma marca e com ratios iguais.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus