Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Um dos erros mais comuns que continuo a verificar nas minhas jornadas de pesca é a utilização de material indiscriminadamente, sem se atender às especificidades dos materiais. Não só nas jornadas de pesca de lazer, mesmo quando praticava competição, assistia sistematicamente ao mesmo.

Eu sei que, especialmente na competição de margem, não é fácil transportar uma cana para cada técnica, mas há mínimos e, pelo menos, que os conheçamos para saber como «dar a volta» caso não tenhamos disponível o material adequado.

Esta aproximação leva-nos também a uma espécie de guia de compras para conjuntos de cana e carreto que sirva para uma iniciação sem que tenha de ser posta de parte para se evoluir. Talvez seja mesmo essa a melhor maneira de colocar a questão.

O que comprar para começar?

E falando apenas de canas e carretos para quem começa a pescar de margem, eu aconselharia dois conjuntos de spinning. O uso de conjuntos de casting virá com naturalidade à medida da evolução de cada um e para começar é melhor manter as coisas o mais simples possível.

O primeiro conjunto seria uma cana de seis pés e meio, média, com uma acção entre os 4 e os 14 gramas a que juntaríamos um carreto de tambor fixo entre 1000 e 2500 de bobina. Esta cana poderia mesmo subsistir como única durante algum tempo se se optar pela compra de um conjunto apenas. Este conjunto á verdadeiramente todo-o-terreno, embora tal como nos carros, isso nunca queira dizer «para todo-o-terreno MESMO!». Como se sabe há muito terreno que os ditos não têm aptidão para enfrentar. Assim acontece com este conjunto… Dificilmente poderemos pescar com material muito pesado, como sejam, cranks de profundidades elevadas, spinners pesados, swimmbaits grandes, etc., no entanto, cobrirá as nossas necessidades básicas, sem margem para dúvidas. Poderemos pescar à superfície, com spinners, jerks e cranks, texas, carolina e até finesse em todas as suas vertentes… Margem para muita aprendizagem, sem dúvida.

Nuno Duarte com uma Carrot Stix de spinning de acção média

Nuno Duarte com uma Carrot Stix de spinning de acção média

O segundo conjunto

Outra cana de spinning de sete pés, média-pesada, com acção entre os 7 e os 28 gramas, com um carreto de bobina 2500, para começarmos a avançar para trabalhos mais pesados, como sejam um texas mais pesado, um carolina, bem como para pescar no meio de vegetação densa com os toads ou as rãs de superfície. Claro que poderemos pescar com spinners mais pesados e não teremos de evitar de todo os crankbaits neste conjunto, mas, para este último caso será vital usarmos uma linha de nylon (devido à sua elasticidade) e apontarmos a ponteira para a amostra na animação, compensando assim a rigidez da ponteira na ocorrência de um ataque, facilitando a ferragem em movimento.

Uma cana de spinning MH tem mais poder para retirar achigãs de zonas com coberturas densas

Uma cana de spinning MH (Medium Heavy – média-pesada) tem mais poder para retirar achigãs de zonas com coberturas densas

Alternativa

Se inicialmente se quiser ficar por uma cana apenas, poderá, no segundo conjunto a comprar, optar por se iniciar ao casting com um conjunto semelhante, mas de casting. De facto pode executar os mesmos tipos de trabalhos com a grande vantagem de ter um carreto mais robusto que o ajudará na animação e na acção. Poderá mesmo comprar uma cana de sete pés e fazer a sua iniciação ao pitching e ao flipping com mais acuidade.

Já agora, quanto a linha eu começaria pelo nylon e apenas mais adiante passaria a estudar as outras linhas para ver se a adaptação acontece naturalmente. Para não se meter em despesas deve pedir a um amigo mais experiente que o aconselhe e que lhe permita usar os materiais que usa para perceber se vai ou não ser fácil a sua adaptação.

Na pesca do achigã usa-se muita coisa e, para termos sucesso, deveremos tentar fazer de tudo um pouco o melhor possível. A versatilidade é uma das nossas melhores armas quando as coisas se complicam e/ou quando nós mesmos as complicamos…

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook