Kevin VanDam, quem mais poderia ser? 25 vitórias na sua carreira que começou em 1991 com uma vitória logo na primeira prova dos circuitos da BASS em que participou.

Fica prometido um artigo sobre a sua carreira, mas por agora vejamos apenas esta última prova da Elite Series, da BASS, que decorreu entre 26 e 29 de abril.

O local já bem conhecido das provas da BASS, ainda em 2016 aqui decorreu o Bassmaster Classic, vencido então por um famoso pescador local, que já nos visitou num dos últimos Clássicos da APPA, de seu nome Edwin Evers.

Estas provas da Elite Series são bem diferentes, pescam-se quatro dias, nos primeiros dois pesca todo o campo, para o terceiro dia transitam apenas os primeiros cinquenta e, para a derradeira mão, passam apenas os doze primeiros.

Esta época do ano neste lago foi muito parecida com aquela em que o Classic deste ano decorreu. Os peixes estão em transição. Há os que já desovaram e iniciam o seu caminho para fora das zonas de desova, há alguns nos ninhos e há muitos a deslocarem-se para estas zonas para procederem à desova. O lago está muito atrasado este ano porque durante o mês anterior a zona foi assolada por uma série de frentes frias que mantiveram a água mais fria que o normal.

Estava tudo lançado para mais uma prova em que os pescadores iriam ter imensos problemas para conseguirem capturas consistentes em todos os dias de prova.

Logo no primeiro dia foi Takahiro Omori que assumiu a liderança, mas avisou desde logo que tinha tido um péssimo treino e que este dia tinha sido atípico para ele… Parece que adivinhava que não iria poder replicar nos dias seguintes as vinte e poucas libras que apresentou à pesagem. De facto, pescou apenas mais dois dias para se quedar pelo 27º lugar devido a dois dias em que conseguiu, nos dois, pescar o mesmo que no primeiro.

Kevin começou com um quarto lugar, neste primeiro dia, mas é assim que ele gosta.

Uma das capturas de KVD

Uma das capturas de KVD

No segundo dia fez outra boa pescaria e assumiu o segundo lugar, ultrapassado apenas por Brandon Lester com uma excelente pescaria acima das vinte e seis libras que foi a melhor de toda a prova.

O dia seguinte foi o da afirmação, Kevin subiu ao primeiro lugar com uma vantagem reduzida, é certo, mas a sua confiança estava no máximo por ter conseguido nos três dias limites acima das dezassete libras muito cedo, o que lhe permitira ir melhorando à medida que as águas aqueciam. Muitos dos melhores peixes desta prova foram capturados muito pouco antes de o dia de pesca terminar, nas duas últimas horas.

O quarto dia, com apenas doze pescadores, começou muito mais lento. Apenas Randall Tharp conseguiu um limite cedo, mas de peixes pequenos. Kevin não conseguiu o seu limite nas primeiras horas, e a dada altura até pensou que poderia ter perdido o primeiro lugar porque a sua pesagem iria ser a mais baixa de todas. O seu amigo Tommy Biffle até conseguiu aproximar-se e houve um pequeno período de tempo em que as pesagens não oficiais o colocavam em segundo, mas no final, o melhor de KVD veio ao cimo.

Sem palavras...

Sem palavras…

Apanhou quase todos os seus peixes com um pequeno squarebill com o seu nome, bem como o conjunto cana e carreto. Não são muitos os pescadores que pescam com materiais desenvolvidos por si para as marcas patrocinadoras, especialmente com cana-carreto e amostra! Ele é o único!

O crankbait era um Strike King KVD 1.5 Squarebill tinha um padrão de lagostim com o dorso castanho raiado a negro e a barriga laranja. Esta foi a amostra que lhe deu mais peixe. Ele trocou as fateixas que vêm de fábrica por outras maiores, nº 2, e disse que isso ajuda muito nas ferragens. A cana era uma Quantum Tour KVD de sete pés de ação média, o carreto um Quantum Smoke 200 com 5.3:1 de recuperação e a linha era um fluorocarbono Bass Pro Shops XPS de 12 libras. Apesar de ter capturado a maioria dos peixes com este conjunto, também conseguiu alguns com um jig de meia onça de cor green pumpkin, o Strike King Structure Jig a que atrelou um Rage Menace Grub da mesma cor, mas, a cauda do grub era mergulhada em corante líquido de cor chartreuse. Para este conjunto usava uma cana de sete pés e quatro polegadas a Quantum Tour KVD, com um carreto Quantum Smoke S3 de casting com 7.3:1 de recuperação que tinha um fluorocarbono de 20 libras XPS da Bass Pro Shops.

Na imagem pode ver-se o crank que lhe deu a maioria das capturas

Na imagem pode ver-se o crank que lhe deu a maioria das capturas

Perguntaram-lhe qual a chave do seu sucesso e ele respondeu que poderia ter ido para mais perto da margem, à procura dos peixes nos ninhos, mas esses, embora mais fáceis, eram machos e seriam muito mais pequenos, por isso preferiu perseguir as fêmeas que ainda estavam a caminho para a desova em algumas zonas de transição que os seus instrumentos eletrónicos da Huminbird lhe mostraram muito bem.

Note-se que VanDam bateu também o recorde de peso para provas de quatro dias neste lago com as mais de 83 libras do peso total das suas vinte capturas.

Para terminar fica apenas a ironia com que respondeu a uma pergunta, quanto a mim de alguém que não o conhece e muito fora do contexto… A pergunta foi se pensava reformar-se. A resposta foi: «Resposta curta: Não! Estou a divertir-me muito!».

Uma nota para o segundo classificado. Tommy Biffle. Ele mesmo uma lenda deste desporto e um herói de VanDam em criança (nas palavras do próprio), foi o único pescador do estado onde a prova decorreu que conseguiu chegar ao top 12. É um dos magos do flipping/pitching e dos pescadores mais antigos deste circuito da BASS.

O terceiro classificado, Roy Hawk, veio dos circuitos da FLW e participa pela primeira vez na Elite Series da BASS… Muitos já desejariam que ele regressasse ao outro circuito, porquanto em duas provas da sua primeira temporada conseguiu um segundo e um terceiro lugar, liderando de momento a corrida para pescador do ano da BASS – AOY. Acho que vai dar muito que falar…

Roy Hawk - o rookie que lidera o AOY

Roy Hawk – o rookie que lidera o AOY

Já Jordan Lee, contrariando as queixas de muitos dos vencedores de Classics que acusam a fama e o que ela lhes impõe no ano seguinte, deixando-os sem tempo para o essencial, conseguiu um décimo lugar que eu considero muito digno de registo.

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook