Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Tal como o próprio já aqui havia relatado, nos últimos dias de Maio levei um colega meu à pesca. Foi a sua estreia na pesca ao achigã, e em qualquer tipo de pesca!

Tal como já havia referido num artigo à uns tempos do guia para iniciados, antes de começar, é necessário tomar algumas decisões com base no que falo nesse artigo.

Com isso em mente, e tendo em conta que o Tiago nunca tinha pescado na via, achei melhor dar-lhe uma cana de spinning, uma vez que todos os pescadores (e eu também) consideram que as canas de casting são mais difíceis de nos adaptarmos.

Para facilitar a aprendizagem, e para que ele não achasse que a pesca ao achigã era uma coisa do outro mundo, combinei uma pescaria num açude privado… assim tinha a certeza que iria apanhar muito peixe, e que certamente iria gostar! 🙂

E assim foi, como ele próprio aqui demonstrou!

Para começar, dei-lhe uma amostra tipo jerkbait. Devem das mais fáceis de manusear, e como ele nunca tinha sequer feito um lançamento na vida, tinha mesmo que começar com coisas simples.

A coisa parece que pegou :D, e na semana seguinte, combinámos mais uma pequena saída no final do dia… desta vez levei-o a um local onde costumo testar amostras e técnicas, onde tenho a certeza que existem bons peixes. Combinámos que serviria para se iniciar com amostras de vinil.

Assim, ficou novamente com uma cana de spinning, mas desta vez com um vinil.

Como é normal com este tipo de amostras, os primeiros peixes escaparam… mas conseguiu ainda capturar o melhor exemplar da tarde!

Primeiro achigã pescado com vinil pelo Tiago

Primeiro achigã pescado com vinil pelo Tiago

Primeiro achigã pescado com vinil pelo Tiago

Primeiro achigã pescado com vinil pelo Tiago

Como não podia deixar de ser, o achigã foi libertado:

Bem, com este é que o Tiago ficou mesmo “agarrado”! 🙂

Não demorou até irmos comprar um equipamento para ele, e foi aí é que fizemos o impensável… Em vez de comprar uma cana e carreto de spinning, e depois de ter falado com ele sobre isso, e dele ter experimento 2 ou 3 lançamentos com o meu equipamento de casting, eu disse-lhe “Tendo em consideração que nunca pescas-te, seja spinning ou casting, terás sempre que aprender do zero, pelo que penso que se começares já pelo casting, se um dia quiseres experimentar spinning, certamente não terás qualquer dificuldade, mas o contrário não será verdade, e depois de aprenderes a pescar com spinning, terás que aprender o casting, e terás novamente uma grande curva de aprendizagem…”.

Como iniciado, ele lá seguiu o meu conselho…  e comprou uma cana e um carreto de casting! 🙂

No dia seguinte lá fomos experimentar o seu novo equipamento… mostrei-lhe como colocar o fio no carreto, mostrei-lhe como afinar o carreto, afinei-o para a amostra com que iria pescar… e voilá!!

Em menos de nada, lá estava ele a lançar, sem nunca ter tido necessidade de recorrer à tesoura! :):)

Fiquei espantado… e segundo ele, era mais fácil lançar com aquela cana de casting, que com a minha cana de spinning… Eu concordo com ele, mas não posso dizer que quem já tenha experiência de pesca em spinning, ache que o casting seja mais fácil, pelo menos no inicio… depois de dominarem a técnica, claro que irão achar melhor! 😉

Com o material afinado, e o Tiago a lançar já com alguma confiança, combinámos uma pescaria com o Nuno, para o sábado seguinte.

No passado sábado, dia 16 de Junho, o Nuno atrasou-se, e eu arranquei mais cedo com o Tiago para o açude. Ele teve eficácia a 100% com o vinil – 1 toque = 1 peixe!

Primeiro achigã do Tiago com o seu novo conjunto de casting

Primeiro achigã do Tiago com o seu novo conjunto de casting

Desta vez o peixe já não tinha o mesmo tamanho a que ele se tinha habituado, nem houve tantas picadas, mas o objectivo era mesmo ir a um açude mais difícil para ele também ter uma noção que isto muitas vezes não é fácil! 🙂

Para concluir, quero apenas deixar novamente esta ideia – se estão a dar os primeiros passos, não tenham medo do casting. É sem dúvida mais fácil de aprender para quem não tem experiência de pesca, do que para quem tem experiência de spinning!

PS: No final do dia o Tiago já lançava praticamente a mesma distância que qualquer um de nós, e sem nunca ter tido nenhum novelo grave! 🙂

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus