NOVAS USM da b8lab - disponíveis através da www.onefishplus.com

Saber quais as amostras indicadas para a época do ano em que nos encontramos, embora não seja garantia de sucesso, é sem dúvida uma grande ajuda para qualquer pescador de achigã, que dessa forma pode concentrar a sua atenção num menor número de amostras, evitando distracções com amostras “menos indicadas”.

Esta informação torna-se ainda mais relevante no caso da pesca de margem e/ou pato, pois nessas condições quanto menos peso tivermos que carregar melhor. Desta forma, ao sabermos quais as amostras mais indicadas em determinado momento, podemos organizar o estojo com base nessas amostras, não sendo necessário carregar com outras que eventualmente não terão tão bons resultados.

Durante este ano estou a efectuar um artigo no inicio de cada mês, onde indicarei quais as amostras mais indicadas para esse mês. Com o intuito de tornar esta informação o mais relevante possível, e o mais credível possível, as amostras que indicar, serão as amostras que nos últimos 4 anos (2010 a 2013), foram indicadas pelos Pros norte americanos, na revista BASSMASTER, como sendo as amostras que eles utilizam. Desta forma, poderemos ver quais as amostras que TODOS utilizam, e as amostras que apenas alguns utilizam.

Ao contrário do que acontece nos artigos dessa revista, não irei indicar especificamente a marca ou modelo da amostra, mas indicarei apenas o seu tipo, pois não é minha intenção dar mais relevância a umas marcas em detrimento de outras.

Aqui fica o terceiro artigo das melhores amostras do mês. Com os achigãs a começarem a dirigir-se para as zonas de desova, começam a notar-se algumas alterações nos tipos das amostras.

Melhores amostras para o mês de Março

ANO Pescador Amostra 1 Amostra 2 Amostra 3 Amostra 4
2010 Randy Hawell Vinil tipo Senko Spinnerbait Shaky head Jig com atrelado
2011 Fred Roumbanis Swimbait vinil Swim jig com grub atrelado Lipless Crankbait Wacky worm
2012 Davy Hite Crankbait profundidade média Jig com atrelado Minhoca “worm” de vinil  Popper
2013 Matt Reed Vinil tipo Senko Lipless Crankbait Spinnerbait Crankbait profundidade média

Ao contrário do que aconteceu em Janeiro, este quadro de Março não uma amostra comum a todos os pescadores.

Os jigs com atrelado continuam a “dominar” o quadro de escolhas, com três pescadores a optarem por estas amostras, aparecendo no entanto uma escolha na variante swimjig.

Da mesma forma, os crankbaits são escolha de três dos pescadores, sendo que dois deles preferem as versões lipeless.

Este mês, os Jigs e os crankbaits têm companhia – as amostras tipo Senko. Também elas escolhidas por três pescadores, sendo a primeira escolha no caso de Randy Hawell e Matt Reed, e aparecendo na versão wacky no caso de Fred Roumbanis.

Os spinnerbaits mantêm-se do mês passado, sendo desta vez escolha de dois pescadores.

Também escolhidas por dois pescadores foram as minhocas tipo worm, com ou sem shaky head.

Começam a surgir também outros tipos de amostras, para peixes mais activos, como é o caso do swimbait de vinil e do popper, ambos com intenção de explorar peixes que já se encontrem nas zonas de águas mais baixas, a preparar a desova.

Os jerkbaits suspending, que de alguma forma eram presença constante nos últimos meses, desapareceram completamente do quadro de escolhas.

Conclusão

Com os achigãs a rumarem para os locais de desova, e aumentarem a sua actividade, o quadro sofreu modificações drásticas nos tipos de amostras escolhidas.

Ao contrário dos últimos 2 meses, em que conseguimos definir uma ou duas amostras como a escolha principal, para Março surgem no quadro 3 amostras “empatadas” – jigs, cranks e senkos.

No entanto, em nenhum dos casos o tipo ou forma de utilizar a mesma amostra seja consensual – temos diferentes cranks, diferentes jigs e diferentes utilizações de senkos.

Como sempre, saí para a água na tentativa de capturar alguns achigãs com as amostras mais indicadas para o mês de Março. Apesar de ter registado algumas capturas num período de 1 hora em que estive a pescar, só saiu um bom exemplar, no entanto já deu para ver que a actividade está a aumentar, e os mais pequenos começam a apresentar muita agressividade.

Captura com ExoStick da BioSpawn numa zona onde aparentemente não existiria nenhuma cobertura e/ou estrutura

Captura com ExoStick da BioSpawn

Dediquei toda a sessão de pesca à minha amostra preferida – vinil tipo senko. Talvez se tivesse tido tempo de experimentar um lipeless crankbait tivesse obtido peixes maiores…

Vamos esperar que a qualidade do peixe melhore nos próximos dias! 🙂

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus