Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Hermínio Rodrigues abandona a liderança da formação da BASS Nation de Portugal em 27 de Março, anunciando assim o seu afastamento:

Caros pescadores de achigã de Portugal,

É com alguma tristeza que me vejo obrigado a abandonar o meu país em busca de trabalho e de melhores condições de vida.

Gostava que esta minha saída não pusesse em causa a continuidade do projeto de formação da BASS Nation de Portugal. Estou certo de que, neste momento, os dados estão lançados e que a formação dos primeiros chapters será uma realidade a brevíssimo trecho.

Fico feliz por poder anunciar que o novo líder deste projeto é o José Moreira do Chapter do Norte. Unanimemente considerado como a pessoa certa para este trabalho.

Cada grupo de seis membros da BASS pode formar um chapter, basta irem ao site da BASS, preencherem o formulário e enviarem por email. Temos de ter no mínimo 10 chapters e 100 membros no total para atingirmos a BASS Nation. (http://www.bassmaster.com/news/how-start-bass-club) (http://www.bassmaster.com/sites/default/files/imce/club_packet.pdf)

Aliás é esse o passo seguinte e eu nem preciso de estar por cá para acompanhar e apoiar esta evolução. Na grande Lisboa estão em formação dois chapters com um núcleo de pessoas muito interessadas e que, juntamente com outros chapters que se formem, podem perfeitamente levar a cabo o trabalho pela frente.

Não posso continuar a ser a cabeça do projeto, mas serei membro de um chapter e apoiarei, dentro do possível, mesmo à distância, todos os interessados em formar estes núcleos que serão a base do trabalho de desenvolvimento e estabelecimento da BASS Nation de Portugal.

Queria deixar uma palavra a todos os membros da comissão que até agora me tem ajudado a desenvolver o projeto: Obrigado por todo o apoio, não permitam que o trabalho se perca, formem os vossos chapters e comuniquem com os restantes para que se possam organizar convívios que mostrem aos menos atentos o que poderá vir s ser esta organização.

Provavelmente a organização não será a que eu delineei, o projeto tem de ser afinado no processo, todos devem participar e um membro de cada chapter deve ter lugar na AG de formação. Noções como «sócios fundadores» e até mesmo as verbas a pagar por cada membro para a BASS Nation de Portugal podem sofrer alterações, o futuro e as conclusões a que chegarem os futuros delegados dos chapters devem poder decidir sem se sentirem presos ao esboço que desenvolvi.

As ideias iniciais podem não ser as prevalecentes, o mais importante é que se atinja a BASS Nation idealmente até Setembro para que se inscreva a BASS Nation em Outubro e se possa enviar pela primeira vez um pescador português ao Clássico dos Amadores.

É importante que todos percebam que quer pesquem de barco, quer da margem, de pato ou de kayak a BASS Nation pode acolher a todos, embora nos EUA só possam participar os que pescam de barco. No entanto, podem-se fazer provas de todas as disciplinas a nível nacional, podendo, em termos de organização, constituir uma mais-valia, já que uns podem organizar as provas dos restantes. Quem sabe se não poderemos contribuir para a mudança, uma vez que em Itália, a BASS Nation, já organiza provas de pato e de motor elétrico.

Esta minha missiva é subscrita pelos membros dos chapters em formação a quem se devem dirigir daqui em diante para que este trabalho possa continuar a chegar a bom porto.

Obrigado a todos e até sempre

Hermínio Rodrigues.

Carta subscrita por

José Moreira
Manuel Pascoal
David Amado
Ramon Menezes
Alberto Nunes
Luís Carriço
André Jones
Filipe Tapadas
João Lopes
Paulo Moreira
Miguel Pinheiro.

Três dias depois, José Moreira assume a liderança do projecto, anunciando:

Face á situação criada com o abandono por motivos de ordem pessoal por parte do Hermínio Rodrigues do projecto Bass Nation de Portugal e tendo-me sido solicitado por inúmeros pescadores para que assumisse o cargo até á realização da Assembleia Geral, venho por este meio manifestar publicamente que após profunda reflexão decidi aceitar tal incumbência, comprometendo-me a não deixar que este projecto, como aconteceu infelizmente no passado, caia no esquecimento. Tudo farei para que este seja um sucesso!

Aproveito a ocasião, para em simultâneo solicitar a todos vós a melhor das atenções para o que de seguida direi com o objectivo único de esclarecer os menos informados:

1. O projecto Bass Nation Portugal é de todos e para todos;

2. Este projecto e até á sua concretização na A.G. referida, será conduzido com ética, clareza, verdade e muita responsabilidade, por pessoas que terão como único intuito o trazer para Portugal um projecto já implantado em vários outros Países para a prática e desenvolvimento de uma actividade que tanto gostamos;

3. A criação deste projecto e as provas que se irão organizar não são contra a FPPD e não colidem com os Campeonatos Nacionais existentes. Em meu entender, a Federação apenas poderá sair beneficiada, pois espera-se um aumento de praticantes para a modalidade;

4. O presente projecto tem como finalidade principal a organização de provas que promovam a pesca ao achigã a nível Nacional e simultaneamente o enviar-se um representante nacional da pesca embarcada a competir nos E.U.A., com as despesas suportadas bela Bass;

5. Para a implementação deste projecto será necessária a criação de 10 chapters e 100 associados na Bass;

6. Cada chapter terá que conter um mínimo de 6 associados;

7. O custo anual a suportar por cada participante será de 27 USD para a inscrição na Bass Americana e 30 USD para a inscrição do chapter nos USA;

8. Quanto ao valor das inscrições a suportar pelos concorrentes em Portugal para prémios e despesas diversas ainda não está definido, aguardando-se o resultado de consultas a possíveis patrocinadores. Tudo se fará para que este seja, a existir, o mais reduzido possível;

9. Existirão provas embarcadas que conduzirão ao apuramento do representante Português e um circuito nacional de margem autónomo e independente. No futuro e tendo em atenção o número de possíveis interessados poder-se-á colocar a hipótese da realização de provas ou circuitos para outras modalidade, nomeadamente patos e kayakes, como já existem noutros países;

10. No decurso deste ano é nossa intenção tentar organizar no mínimo uma prova para os participantes da margem e se possível uma para os concorrentes da pesca embarcada. Em 2014 as competições serão aquelas que a futura direcção decidir;

11. Quanto á polémica questão de aos USA apenas poder ir um pescador da pesca embarcado, cabe-me referir que infelizmente na Bass não existe outro tipo de concursos. Faço notar que as nossas provas são compostas por dois concorrentes e que apenas um será apurado. A “recompensa” para os restantes circuitos, será efectivamente o terem um circuito de provas nacionais concebido e colocado em funcionamento pelos próprios, com prémios que tudo faremos para serem os melhor possíveis. Mais me cabe referir que hoje fazem parte da pesca de margem, mas quem sabe, amanhã possam fazer parte da embarcada e ser um de vós o apurado. O futuro á vós pertence!

12. Existe neste momento uma comissão organizativa a funcionar que se irá manter com ou sem os ajustamentos que houver por necessários. Nos próximos dias ou semanas todos quantos praticam a pesca ao achigã irão ser contactados pelos delegados de zona e, em caso de necessidade e para apoio a estes, por outros a quem eu entender delegar tal função. O que se pretende é que ninguém fique por contactar e dê o seu contributo. O que se pretende é que um amigo possa trazer outro até nós, para sermos grandes e cumprirmos com o que nos propomos. Como disse no início o projecto é de todos nós!

13. O País vive uma situação extremamente complicada. Sou o primeiro a reconhecer que esta situação poderá contribuir para a desmobilização de alguns. A esses, apenas solicito, que mantenham a esperança de que um dia possam engrossar as nossas fileiras. Estamos e estaremos sempre, de braços abertos para os receber entre nós.

Esta é a segunda tentativa para se trazer para o nosso País este projecto. Não significa isto que não se consiga realizar tal intento. Faço um apelo para a união de todos nós. O País é pequeno, o número de praticantes também, mas todos unidos seremos muitos e só assim CONSEGUIREMOS!

Vila Real, 30 Março de 2013

Um obrigado a todos,
José Moreira

pro_bass

O trabalho para a formação da BASS Nation de Portugal continua, e estamos mais perto que nunca de o conseguir!

Se querem fazer parte deste projecto, e ajudar na implementação em Portugal de um circuito de pesca ao achigã feito por pescadores para pescadores, não esitem em deixar o vosso interesse nos comentários no final da página, ou contactem-me pelo Facebook. Poderão fazer parte do meu grupo, criar um novo, ou juntarem-se aos grupos que já estão criados por todo o país 😉

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus