O japonês Takatoshi Murase esteve mais uma vez em Portugal, no âmbito do Tour Europeu deste ano. Este fanático pescador conseguiu angariar uma legião de fãs nas redes sociais e desta forma, desenvolver um largo movimento de apoio ao seu lema: a paixão não tem fronteiras!

carrinha naturpesca pmnb 2015Este ano, a Naturpesca recebeu o Taka durante 3 dias que vão ficar nas nossas memórias, quer pela constante boa disposição, quer pela partilha de experiencias e sobretudo, pelos muitos momentos inesquecíveis de pesca. O Taka chegou a Portugal no final do dia 19 de agosto, vindo de Espanha. A manhã de dia 20 foi aproveitada para descansar, beber um café no centro de Castelo Branco e conhecer a cidade, numa rápida visita guiada.

De tarde, a pesca fez-se embarcada e aconteceu no Parque Natural do Tejo Internacional. Foram muitas as capturas de achigãs de tamanho médio, tendo-se mantido a atividade dos peixes durante toda a tarde. O nosso convidado vibrou como só ele sabe, com cada achigã pescado! Entre as capturas de achigãs, o Zé Pedro Torres pescou também um siluro com cerca de dois quilos, que motivou de imediato mais alarido na embarcação e mais uma série de fotos e comentários a propósito.

O dia 21 foi dedicado à pesca a partir da margem e realizou-se em três barragens de pequena dimensão, também na região de Castelo Branco. Qualquer uma das albufeiras tinha muita vegetação aquática e foi por isso necessário recorrer a amostras weedless para evitar as prisões nas ervas. Assim, spinnerbait´s, montagens Texas, rãs e algumas amostras passeantes nos locais mais desimpedidos, resultaram num dia com uma média de peixes muito grandes, com o maior a ultrapassar com à-vontade os dois quilos, segundo indicou a balança. No final do dia o cansaço provocado pelo desgaste de um dia inteiro de pesca apeada era bem visível. Mas a felicidade pelos momentos de boa disposição e pelas excelentes capturas estava bem presente nas conversas ao jantar. Ainda assim, a noite quente foi aproveitada para ir beber uma água a uma das esplanadas da cidade, finalizando com uma visita ao castelo, ponto mais alto da região. Deste local é possível avistar toda a iluminação da cidade e povoações próximas, numa imagem deslumbrante de luz. O nosso visitante ficou com uma perspectiva bem diferente da cidade!

No dia 22, o Alberto Nunes juntou-se a nós para um dia de pesca embarcada na albufeira de Idanha. Depois da surpresa pela oferta de um gelado, devorado logo às 9 da manhã, promoção do hipermercado onde fomos comprar o almoço, rumou-se à albufeira para iniciar a pesca. Ainda pela manhã, o Takatoshi pescou o maior achigã do dia, com quase um quilo e meio. Os peixes estavam relativamente pouco recetivos às nossas amostras, talvez pela alteração atmosférica que se verificava, com o dia a mostrar-se nublado e com bastante vento que originava também muita ondulação.

No final do dia, o Alberto regressou a casa com o Taka, estando já marcada uma pescaria com os amigos no dia seguinte.

Não deixa de ser impressionante o que este homem conseguiu concretizar. Além de criar amigos em todo o mundo devido à paixão que tem pela pesca, conseguiu que grande parte desses amigos fosse também amigos (pelo menos “amigos virtuais”) uns dos outros. É evidente que isto só se tornou possível devido às redes sociais, nomeadamente ao Facebook, sendo absolutamente impensável, há apenas meia dúzia de anos atrás. Tudo por causa da pesca, da nossa pesca. Sem dúvida que a paixão não tem fronteiras e o Taka é o enorme embaixador desta paixão sem fronteiras. Sem dúvida que ninguém iria fazer esta tarefa tão bem quanto ele: tem uma enorme boa disposição que extravasa sem preconceitos, é simpático, curioso quanto aos usos e costumes e gosta mesmo muito de pesca.

Ficou prometida nova visita, em data a definir. Nós cá estaremos!

Gomes Torres

José Gomes Torres tem 48 anos e pesca desde os 15 anos de idade, praticando várias modalidades. Desde muito cedo esteve ligado a Clubes, Associações de Pesca e Náutica de Recreio, assumindo diversos cargos nas respetivas Direções, condição que ainda mantém. Fez competição na pesca embarcada ao achigã, onde conquistou dois títulos nacionais da APPA -– Associação Portuguesa de Pesca do Achigã, tornando-se colaborador permanente em diversas revistas especializadas de pesca. Faz fotografia por gosto e pela necessidade de ilustrar os textos que produz. Atualmente contribui no desenvolvimento de equipamentos de pesca para uma marca nacional e colabora nas duas únicas publicações nacionais ligadas a esta atividade, a revista “Mundo da Pesca” e o “Jornal da Pesca”.

More Posts - Website - Facebook