Sei que é um sonho… A maior parte dos pescadores portugueses trabalha a semana toda e só pode «fazer o gosto ao dedo» ao fim de semana e nas férias. Por outro lado, temos um defeso que quase nos impõe uma paragem de dois meses.

De momento resido na primaveresca Ilha da Madeira e não me canso de fazer justiça ao regulamento de pesca na Ilha. De facto, para uma legislação dos anos 60, este regulamento está muito à frente. Pode-se pescar o ano inteiro. Para minorar os impactos há repovoamentos anuais e há zonas de defeso permanente, ou seja, temos um defeso territorial e não temporal, o que facilita muito a vida a quem procura estas paragens e se interessa pela pesca em águas interiores.

mad trout Madeira

Mas voltemos à realidade do nosso Continente. Com uma lei que já era «velha» antes de aprovada, dadas as características do regime que as aprovou. Mesmo assim, temos um enquadramento perfeitamente anacrónico passados mais de 50 anos da publicação de tais regras. A lei da caça já teve mais evoluções em democracia que a pesca desde a Idade Média… caricato? Se calhar exagerado… É uma questão de fazermos as contas.

Mas nem é isso que me traz aqui hoje. Não. O que me traz a este espaço de novo é a nossa mentalidade (e falando apenas da pesca do achigã). Ainda há muita gente que, às primeiras dificuldades outonais, arruma o «estojo» e só regressa depois do defeso… Enfim. Eu sei que a pesca aumenta de dificuldade à medida que o frio se instala, mas não deveria isso constituir apenas mais um desafio.

Captura numa tarde soalheira de Inverno

Captura numa tarde soalheira de Inverno

Eu compreendo que, quem pesca para comer, se resguarde e poupe as suas economias para quando for mais «rentável», mas, CARAMBA!,  essa não é a maioria dos nossos pescadores de achigã! Quem pesca

Adequem a roupa, para estarem sempre confortáveis

Adequem a roupa, para estarem sempre confortáveis

pelo prazer da captura, pelo desafio que o achigã nos impõe na sua busca e na sua captura, não deve parar de pescar só porque as coisas ficaram um pouco mais difíceis!

Escrevi no meu primeiro livro, publicado em 1995, «os achigãs pescam-se todos os dias» e continuo a acreditar piamente no que afirmei.

Um dia a gestão da pesca vai ser feita com vista à vertente desportiva e económica da actividade e então poderemos mesmo pescar todos os dias, mas até lá, pelo menos, vamos pescar todos os dias que podemos. Vamos aproveitar todas as estações que a lei nos deixa livres para fazermos o que mais gostamos.

Dito isto… Não vamos esquecer que libertar os peixes que pescamos é a única forma de garantir que todos possam ter acesso às alegrias inerentes. Vamos todos PESCAR E LIBERTAR… Todos os dias possíveis…

DIVIRTAM-SE! De outra forma nem fará sentido.

Uma boa captura em Novembro de 2014

Uma boa captura em Novembro de 2014

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook