Realizou-se no passado dia 13 de Julho a primeira prova de pesca ao achigã realizada pela associação que tem como objectivo a criação em Portugal da BASS Nation de Portugal. Esta prova realizou-se na vertente de pesca ao achigã de margem, e contou com o número máximo de participantes permitidos, que foi estipulado em 30.

Com o objectivo de efectuar um regulamento inovador na vertente da pesca ao achigã de margem, esta prova diferenciou-se de todas as restantes existentes no panorama nacional exactamente pelas inovações que trouxe ás regras da prova.

Uma das mais evidentes foi o facto do peixe ser pesado e não medido. Uma verdadeira inovação na vertente de margem.
De forma a permitir a pesagem dos peixes, cada pescador tinha que se fazer acompanhar de uma rede flutuante de retenção do peixe, onde se colocariam os exemplares até serem pesados, sendo libertados de imediato após a pesagem. Por perto existiam sempre controladores prontos a pesar os peixes e, no meu caso, não tive um único peixe mais que 1 minuto dentro da rede à espera de pesagem.

Pro BASS CupA forma como o processo de pesagem foi efectuado permitiu, o que para mim foi outra grande inovação, e que foi o facto de não ter nenhum “parceiro” para me controlar ou para eu controlar. Nas restantes provas que conheço em Portugal, os pescadores têm que andar sempre em grupos, para se controlarem uns aos outros. Neste caso isso não acontecia, o que dava uma liberdade enorme a cada pescador, que podia assim mudar de pesqueiro quando quisesse, não estando “preso” a nenhum outro pescador.

Outra grande inovação, principalmente para mim, que tenho vindo a participar no Campeonato Nacional, foi o facto de não existirem sectores. Ou seja, cada pescador tinha à sua disposição a totalidade da massa de água para pescar (tendo atenção ás distâncias indicadas no regulamento, claro), e não estava preso a um sector de x metros de margem, como acontece por exemplo no Campeonato Nacional, do qual não se pode sair, mesmo que nesse sector ninguém esteja a apanhar peixe, e 10 metros mais ao lado exista um cardume de peixes prontos a atacar o isco.

Claro que estas inovações implicaram trabalho e esforço adicional por parte da organização, a quem já tive oportunidade de agradecer na pessoa do José Moreira, e a quem deixo aqui mais uma vez os meus parabéns pela excelente prova!

Um controlador (de branco) a pesar um achigã de um pescador que estava à minha direita

Um controlador (de branco) a pesar um achigã de um pescador que estava à minha direita

A prova

Desta feita, a equipa oficial do site apresentou-se com 3, dos 5 elementos que tem inscritos na BASS (Alberto Nunes, Tiago Ramalho e Pedro Silva). Era dia de utilizar os novos jerseys oficialmente! 🙂

A jornada começou cedo… Por volta das 4 e qualquer coisa horas da manhã já estava em Santarém, para ir ter com o Tiago, e depois com o Pedro, para carregar tudo e seguir para Monfortinho.

Com chegada à hora marcada para o briefing, tudo correu de acordo com o planeado, tendo apenas que se atrasar o inicio da prova pelo facto de não se conseguir transportar todos os participantes para o local da prova em tempo útil.

nrwebdesign.com bass team: Pedro Silva e Tiago Ramalho

nrwebdesign.com bass team: Pedro Silva e Tiago Ramalho

Em convívio com o Takatoshi Murase

Em convívio com o Takatoshi Murase

A partida foi dada na parte de cima da barragem, que era a zona mais baixa. Nesta prova era cada um por si, sem ter que esperar por ninguém, sem haver sorteios para ordens de partida… Como é hábito e espírito do pessoal dos nrwebdesign.com, deixámos que todos partissem para que só depois, e com muita calma, nos deslocássemos para dar inicio à nossa acção de pesca.

Logo ali deparámo-nos com algo que ainda nem sequer nos tinha passado pela cabeça, que era o facto de finalmente, numa prova, podermos pescar lado a lado (respeitando as distâncias impostas, obviamente), o que dava para ir conversando, trocando ideias sobre as técnias, as cores, etc.

Para meu espanto, todos rumaram para o meio da barragem, deixando as partes mais baixas da parte de cima da barragem sem ninguém… Fantástico!

Em acção de pesca (Foto por Rui Manuel Ferreira)

Em acção de pesca (Foto por Rui Manuel Ferreira)

Nem necessitámos de nos esforçar para arranjar um local para começar a pescar apesar de termos sido os últimos a sair! 🙂

Não tardou muito até que todos começassem a apanhar peixe. Uns com medida, outros sem medida, o que era um facto é que havia muito peixe, e estava a cair!

Pessoalmente, penso que apanhei o primeiro exemplar válido ao fim de 5 ou 10 minutos de ter iniciado a prova, e antes desse já tinha apanhado outros 2 ou 3, mas não tinham a medida mínima estipulada, que era de 27cm.

Perdi pelo menos 2 peixes na casa dos 30cm – um porque não o levei a sério, e não o retirei da água com rapidez, e outro porque atacou mesmo junto aos meus pés, numa zona de erva mesmo encostada à margem, zona onde estava constantemente a ter ataques de peixe pequeno, e dessa vez, achei que também seria um pequeno e não fiz para cravar o anzol como deve ser 🙁

Ainda assim, fiquei absolutamente satisfeito com a barragem, que nada teve a ver com os descalabros que tenho vindo a experimentar no Campeonato Nacional desde as 2 primeiras provas do ano passado… 🙂

A minha folha de capturas

A minha folha de capturas

Na Pro BASS Cup toda a gente apanhou peixe, e só o meu amigo e convidado da prova, Takatoshi Murase é que não conseguiu pontuar. 🙁

Terminada a prova, era hora da almoçarada!! Aí sim, os nrwebdesign.com bass team dão cartas!!! 😀

Almoço Pro BASS Cup

Almoço Pro BASS Cup (Foto por BFZ)

Depois do almoço veio a entrega de prémios.

No pódio final, a grande vencedora foi a única senhora participante na prova, Manuela Gonçalves,que arrebatou os 300€ de 1º classificado:

Manuela Gonçalves - 1ª classificada

Manuela Gonçalves – 1ª classificada (Foto por BFZ)

Miguel Catambas foi 2º classificado com um prémio de 200€:

Miguel Catambas - 2º classificado

Miguel Catambas – 2º classificado (Foto por BFZ)

Paulo Duarte foi o 3º classificado com um prémio de 150€:

Paulo Duarte - 3º classificado

Paulo Duarte – 3º classificado (Foto por BFZ)

O prémio de 150€ em material de pesca, para o maior exemplar, foi para Miguel Catambas:

Miguel Catambas - Maior Exemplar

Miguel Catambas – Maior Exemplar (Foto por BFZ)

Aqui fica a tabela da Classificação Oficial:

classificacao oficial pro bass cup

Para a história fica a foto de grupo de todos os intervenientes na 1ª prova de pesca ao achigã de margem realizada pela associação Pro BASS Nation de Portugal:

Foto de grupo por BFZ

Foto de grupo por BFZ

Foi sem dúvida a melhor prova em que já participei, quer pela organização e regulamento inovador, quer pelo facto de nenhum participante ter saído de lá sem uma lembrança em material de pesca! Até para o ano!

Relembro todos os apaixonados pela pesca do achigã que é importante juntarem-se ao projecto da Pto BASS Nation de Portugal, para conseguirmos implementar em Portugal a BASS Nation. Isto será uma verdadeira mais valia para este nosso desporto, e para a pesca ao achigã em geral. Juntem-se a nós!

Podem ver todas as fotos desta prova no Facebook em:

Bass Fishing Zone (concentração, prova, prémios) e Rui Manuel Ferreira

Para concluir, quero agradecer ao nosso patrocinador – O Capela, pelo apoio que nos tem dado, bem como ao Manuel Gonçalves (BFZ) e ao Rui Manuel Ferreira, pela cedência das fotografias para este artigo.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus