Lagostins Vilecraw da Biospawn - disponíveis através da www.onefishplus.com

Existem actualmente no mercado muitas variedades de fios de pesca. Neste artigo, e como forma de simplificar as coisas, vou focar-me nos 3 tipos mais conhecidos para a pesca ao achigã: monofilamento, fluorocarbono e entrançados.

Cada um destes fios tem características próprias, que os tornam melhores para utilizar com algumas amostras, e piores para outras, podendo, em último caso, “matar” a acção da amostra, tornando-a pouco eficaz.

Assim, devemos esforçar-nos por adequar o máximo possível o tipo de fio à amostra que estamos a utilizar.

Qual o fio de pesca indicada para cada amostra?

Propriedades dos fios

O monofilamento é um fio mole, com uma memória entre o baixo e o moderado, e um diâmetro bastante bom quando comparado com a sua resistência. Possui bastante elasticidade e torna-se pouco sensível, sendo difícil identificar contactos com o fundo ou picadas mais subtis. É um fio com uma boa resistência abrasiva e os nós dados são resistentes. A sua visibilidade dentro de água é relativamente baixa. Lança-se com facilidade e tem tendência a flutuar.

O fluorocarbono não é tão mole como o monofilamento. Tende a ter uma memória entre o moderado e o elevado, o que pode levar à criação de nós e enrolos, principalmente em carretos de spinning. No entanto, o fluorocarbono é praticamente invisível dentro de água, tem muito menos elasticidade que o monofilamento, transmitindo facilmente picadas mais subtis e todos os contactos com o fundo. Ao contrário do monofilamento, afunda e tem uma resistência abrasiva superior, mas o rácio diâmetro/força é ligeiramente inferior ao monofilamento.

O entrançado é o fio com diâmetro mais pequeno dos 3, e possui maio mais força que os restantes, tendo um rácio bastante bom entre diâmetro/força. Não tem elasticidade e é muito mole/macio. No entanto, é relativamente dado a enrolos e nós durante o lançamento, e é o mais visível de todos dentro de água. Flutua e tem uma resistência abrasiva extremamente elevada.

Adaptar o fio ás amostras

Senko com anzol empatado à Texas

Amostras que tenham contacto com o fundo (tudo o que se empate à Texas, jigs, shaky heads, etc) – por ser praticamente invisível, ter uma boa resistência abrasiva e ser o que transmite mais sensibilidade ao toque, o fluorocarbono é a escolha ideal.




Crankbait de grande profundidade - a partir dos 3 metros

Cranksbaits de grande profundidade – o fluorocarbono transmite as vibrações e os toques no fundo melhor que o monofilamento e o entrançado, o que permite saber com alguma facilidade o que se passa com a amostra durante a recuperação do fio. Além disso, como é um fio que afunda (ao contrário dos outro que flutuam), permite que as amostras atinjam a profundidade máxima.

Crankbait sem paleta ou "lipeless"Crankbaits sem paleta – alguns profissionais utilizam fio entrançado em locais com mais vegetação no fundo, pois como o entrançado não tem elasticidade, torna-se mais fácil de “arrancar” a amostra das prisões que acontecem na vegetação. No entanto, em águas mais abertas dão preferência ao monofilamento devia á sua elasticidade, que permite que o peixe engula mais a amostra antes que o pescador reaja.

Crankbait de pouca profundidade - podem ir até 1,5 metrosCrankbaits de pouca e média profundidade – neste caso, o fluorocarbono volta a ter vantagens graças à sua grande resistência abrasiva e pela sensibilidade superior, que permite transmitir todas as vibrações da amostra.




jerkbait

Jerkbaits – neste caso temos dois fios que podem ser bastante bons, dependendo da situação. O fluorocarbono permite atingir maiores profundidades, muito importante em águas mais frias. O monofilamento, por ser mais elástico ajuda a prevenir que se percam aqueles peixes que ficam com os anzóis ligeiramente cravados.

Spinnerbait

Spinnerbaits e buzzbaits – o monofilamento é uma vantagem nestas amostras devido à sua elasticidade, que permite que os peixes engulam melhor a amostra, proporcionando menos falhas nas cravagens. Esta é uma característica essencial quando o achigã está a fazer “ataques curtos”.

SwimbaitSwimbaits – para amostras grandes e mais pesadas, utilizar monofilamento com o maior diâmetro que se conseguir. Para a mostras mais pequenas e águas claras, utilizar fluorocarbono.



Popper Bubble Pop - Popper River2SeaAmostras de superfície – para este tipo de amostras o fluorocarbono é totalmente desaconselhado por afundar, diminuindo bastante a acção das amostras. O entrançado flutua, mas por não ter elasticidade, por vezes permite que os peixes mais mal cravados consigam escapar. O monofilamento é o ideal para estas amostras pois é fácil de lanças, flutua e tem a elasticidade necessária.

Sapo da Koppers LiveTarget

Sapos – este é provavelmente o único grupo de amostras onde o entrançado é verdadeiramente a melhor opção. Flutua, o que ajuda a evitar que a linha se prenda na vegetação submersa. O seu redusido diâmetro facilita o lançamento destas amostras e a sua força superior permite que consigamos capturar os maiores exemplares, mesmo nas zonas de vegetação mais densa.

Conclusão

Podemos assim concluir que o fluorocarbono é provavelmente o fio que se adapta a mais situações, com excepção para crankbaits sem paleta e amostras de superfície e sapos. Não é no entanto uma boa opção para equipamento de spinning, dado ser um fio algo rijo, que tende a saltar da bobine quando utilizado em diâmetros superiores a 0,25mm.

Para spinning, aconselha-se encher a bobine do carreto com fio entrançado e depois aplicar uma ponta de fio de fluorocarbono de 3 ou mais metros à qual se irão então atar as amostras.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus