Estou na Beira Interior, bem perto da barragem de Santa Luzia, onde não se pesca nesta altura do ano por ser de águas classificadas como salmonídeas. No entanto, apeteceu-me, ao acordar, fazer este exercício para pensar em pesca. Então, colocou-se-me a questão: se fosse à pesca hoje nesta barragem como procuraria os achigãs?

Aqui estamos ainda longe da pré-desova. Com a temperatura do ar nos oito graus, fácil é de imaginar que a da água não esteja muito acima dos dez graus. Como se trata de uma barragem com poucas coberturas e com a água muito cristalina será normal procurar os achigãs em profundidade. Por outro lado, com a chuva, que cai impiedosamente neste dia de Carnaval, e com a subida das águas que se tem verificado, talvez haja zonas em que os possamos encontrar mais perto da superfície.

Barragem de Santa Luzia

Barragem de Santa Luzia

Como a barragem não é muito grande poderia começar por dar uma volta pelas estradas circundantes em busca de entradas de água provocadas pela chuva. Aí as águas ficam turvas ou mesmo barrentas e eu começaria por colocar um crankbait de cor viva, vermelho, por exemplo, e faria uns lançamentos mesmo na entrada de água, se tivesse acesso pela outra margem oposta, uma vez que estou a pescar apeado, se não pudesse fazer o lançamento para a queda de água, optaria por me colocar o mais perto possível executando o movimento ao contrário, ou seja, terminando a recuperação muito próximo da entrada de água.

É que os achigãs estão nessas entradas à espera de comida que venha de terra, mas, os predadores mais pequenos também são atraídos para o mesmo fim, como tal, é natural que os achigãs aproveitem para se alimentar sem desconfiarem de comida que venha em sentido oposto. A verdade é que o seu metabolismo está baixo, mas as oportunidades de se alimentarem podem dar origem a períodos de atividade, reforçados por alguns sinais de aproximação à pré-desova, como sejam a subida dos níveis de água e o aumento do fotoperíodo (quantidade horas de luz em cada dia).

Se eu não encontrasse entradas de água com estas características teria de tentar outras coisas. Uma delas seria lançar um jerkbait com pala grande para ir até aos dois metros e meio pelo menos e que suspenda nessa profundidade. Como os achigãs, em princípio, estarão mais fundos teria de os chamar com algo que vá perto deles, e não necessariamente á mesma profundidade, mas que lhes desperte a curiosidade ou que imite a sua comida típica desta massa de água. Optaria pois por uma imitação de boga ou de truta em termos de padrões de cor. Outra coisa que teria de fazer seria executar lançamentos longos e fazer muitas e longas pausas. Longas?… Até aos dez a quinze segundos é suficiente. Como o seu metabolismo está baixo é necessário dar-lhes tempo.

O outono e o inverno são as melhres épocas para os jerkbaits - embora se possm usar todo o ano

O outono e o inverno são as melhores épocas para os jerkbaits – embora se possam usar todo o ano

Uma terceira técnica, caso nada disto nos ajudasse a capturar, seria, sem dúvida, o drop-shot. Tentar maiores profundidades e tentar irritá-los na sua zona de conforto. Agitar o isco sem fazer grandes deslocações de cada vez. Escolheria para esta técnica as mesmas zonas que para os jerkbaits: os bicos do braço principal da barragem que tenham associados formações rochosas escarpadas e com variações de profundidade.

Este seria o meu dia de pesca se pudesse pescar na barragem de Santa Luzia… Como não posso… Foi um prazer fazer este exercício e partilhá-lo convosco. Nunca se esqueçam que a visualização é uma excelente forma de treino e, quando não vos for possível ir à pesca, pelo menos façam este tipo de exercício que vos ajudará a manter uma ligação ao vosso desporto preferido.

Fiquem bem!

Herminio Rodrigues

Hermínio Rodrigues é um pescador que se tem dedicado muito à formação de pescadores de várias formas: através dos dois livros que publicou e de muitos artigos que publicou e que publica ainda sempre que pode. Faz ainda palestras, demonstrações e ações de formação para pescadores e visita escolas que o convidam para introduzir os mais novos na pesca desportiva, especialmente de achigã.

More Posts - Facebook