Sobre nós

 

Chamo-me Alberto Nunes, tenho 36 anos, cresci e vivo no Ribatejo e sou totalmente viciado em pesca ao achigã!

Nunca ganhei nenhum tipo de competição de pesca ao achigã, nem sou nenhum super pescador de achigã. Tudo o que sei devo-o aos meus amigos e ás longas horas de pesquisas na internet, seguidas de muitas horas de prática! 🙂

A minha história

Sempre gostei de pesca. Lembro-me bem do dia em que o meu pai me deu a minha primeira cana de pesca, que ainda guardo hoje religiosamente. Tinha 7 anos na altura, e já gostava de pescar pelo menos desde os 5 anos. Nessa altura, pescava-se com uma cana da vala seca, com um pedaço de fio, um anzol e uma bóia de cortiça. Com a primeira cana veio também o primeiro carreto. Apesar disso, continuava a pescar com todos o faziam por cá – com bóia e pardelhas. Lembro-me de passar 2 e 3 horas, depois de almoço, a apanhar gafanhotos, para depois ir aos achigãs ao final da tarde com um tio meu, que me levava de motorizada com ele…

Não muito tempo depois de receber a minha primeira cana e carreto, tive acesso pela primeira vez a algo que veio revolucionar a pesca ao achigã – amostras da Rapala! Foram tempos extraordinários… muito peixe, uma diversão enorme a utilizar as novas amostras… fabuloso. Nessa altura qualquer açude, grande ou pequeno, tinha achigãs, e muitos! Era frequente pescarias com 30 ou 40 achigãs cada pescador!

Captura do exemplar record

Captura do exemplar record

Entretanto com a idade veio a minha primeira motorizada, e com ela a liberdade para me poder deslocar para pescar quando queria… Não tenho já a certeza de que idade teria, mas penso que deveria andar entre os 14 ou 15 anos. No entanto, havia um senão. Eu não sabia nadar, e os meus pais não me deixavam ir sozinho… Foi por essa altura, um pouco antes talvez, que conheci o Nuno, que veio morar com os pais cá para a aldeia. Com menos 4 anos que eu, mas com um gosto enorme por pesca. Não tardou muito a começarmos a andar os dois sempre juntos, ao final das tardes, na minha motorizada, a pescar pelos pequenos açudes que existiam pela zona. Nesta altura, as pequenas amostras rijas já eram uma coisa comum, mas nunca tinha ouvido falar ou pensado sequer em pescar e libertar. Apesar de não comermos os peixes, sempre que apanhávamos alguma coisa com bom tamanho, levávamos para mostrar e depois dávamos os peixes a qualquer pessoa que se mostrasse interessada…

Em 1998 foi o último ano em que pesquei. Os peixes começaram a escassear, e era muito difícil conseguir apanhar alguma coisa. Nessa altura comentava-se pela aldeia que existia um grupo que passava os açudes com uma rede, e daí o peixe estar a desaparecer. Resolvi desistir da pesca em 1999, com a minha ida para a Universidade. Durante os anos seguintes dediquei-me ao BTT.

Foi também graças ao BTT, que em 2009 regressei à pesca!

O meu record - 52cm

O meu record – 52cm

Durante uma volta e bicicleta com um amigo, falamos de pesca, e cotei-lhe como no passada tinha pescado ao achigã, e como era apaixonado por este desporto. Não levou muito tempo até combinarmos uma pescaria, e eu voltar a pescar, 11 anos depois de ter parado.

Depois desse dia, voltei a sentir o vicio da pesca, e decidi pesquisar sobre as técnicas que se utilizavam actualmente, as amostras, etc. Foi aí que tive o meu primeiro contacto com a filosofia de pescar e libertar, e para mim, que pesco em pequenos açudes, a ideia fez todo o sentido desde a primeira hora! Afinal, eu queria era pescar e apanhar achigãs grandes, e se levasse o peixe para casa desses pequenos açudes, a pescar 2 ou 3 vezes por semana lá, ficaria sem peixe ainda antes do final do ano. Simplesmente não é sustentável! Desde então, sou defensor de pescar e libertar.

Porquê o blogue da pesca ao achigã nos interessespessoais.com?

Sendo da área da informática, a criação de websites foi desde sempre uma paixão. Desde que tive acesso à internet que comecei a construir websites, e no final de 2008 tinha 2 ou 3 websites sobre os mais variados temas do meu interesse. No inicio de 2009 resolvi criar uma “rede” de blogs, que me permitisse gerir todos os meus websites a partir de um único local, e que possibilitasse que os meus amigos também tivessem acesso para partilharem lá as suas experiências. Nessa altura, e dada variedade de temas que pretendia ter e vir a criar, o nome que me pareceu mais correcto foi interessespessoais.com.

Libertar achigã record de 52cm

Libertar achigã record de 52cm

Quando voltei a pescar, em Julho de 2009, ao iniciar o processo de pesquisa de técnicas e tácticas, e depois de resolver não matar mais peixe, resolvi começar um blog para relatar as minhas pescarias, e foi assim que nasceu o blog sobre pesca ao achigã na rede interessespessoais.com. Nessa altura, era apenas uma forma de ir registando as histórias que íamos vivendo. Pouco tempo depois de ter iniciado o blog, comecei a falar sobre temas relacionados com técnicas e tácticas de pesca, e foi aí que o blog começou a ser conhecido.

Posso afirmar hoje, que foi em parte graças ás visitas de novos leitores do blog, e ás suas questões, que consegui evoluir mais rapidamente, na busca de tentar responder ás suas questões, sendo actualmente este um dos principais objectivos que tenho para o blog: ajudar a melhorar e divulgar a pesca do achigã, defendendo a filosofia de pescar e libertar.

Equipa aumenta

Em Fevereiro de 2014, Hermínio Rodrigues juntou-se ao projecto, tendo desde então contribuído com um novo artigo todas as semanas, o que foi e continua a ser uma ajuda imprescindível para se conseguir manter o arrojado calendário de dois novos artigos originais por semana.

Surge o BASSPT.com

Em Junho de 2014, após 6 meses consecutivos com dois novos artigos publicados mensalmente, ás terças e quintas, surge a necessidade de transformar o blog num site, com capacidades para sustentar mais serviços que tragam mais valias a toda a comunidade. Esta mudança é também impulsionada pela crescente necessidade do site possuir um nome curto e fácil de memorizar, tendo-se devido, em grande parte ao suporte dado pela empresa alemã Clickbaits, que tendo conhecimento do trabalho que estava a ser desenvolvido, se disponibilizou para enviar novas amostras para testarmos, além do seu responsável ter sido o criador no novo logótipo do site:

BASSPT.com - Pesca ao acjhigã

BASSPT.com – Pesca ao achigã

Com alguns artigos publicados na imprensa, e novos conteúdos de vídeo a começarem a ser produzidos, o site basspt.com assume-se como uma das principais fontes on-line de informação e produção de conteúdos sobre pesca ao achigã.

Marca registada

BASSPT.com é oficialmente uma marca registada desde 18 de Abril de 2017, com o nº 575455.

Última actualização: 19/04/2017