No passado mês de Maio de 2014, após alguns contactos, a empresa alemã Clickbaits enviou-me para testes algumas amostras de vinil, com ênfase nas amostras da marca b8lab.com, marca para a qual detêm a representação na Europa.

Em Portugal podem ser adquiridas através da onefishplus.com.

Desde então que tenho utilizado estas amostras nas mais variadas situações de pesca e chegou o momento de falar sobre elas.

Para começar, aqui ficam algumas informações acerca das amostras.

USM – Ultimate Strike Minnow da b8lab

b8lab Ultimate Strike Minnow - portugal

As Ultimate Strike Minnow, ou USM para abreviar, são swimbaits de vinil de 5″.

Possuem uma acção natatória bastante realista, que provoca interesse e desperta ataques por parte dos predadores.

Uma novidade/diferença entre estes vinis e outros que costumo utilizar é o aroma das amostras. Ao contrário de todos os outros, que não possuem aromas, ou que quando os possuem é um cheiro mais ou menos desagradável com feromonas que tentam imitar peixes presa em apuros, as USM da b8lab possui aroma a Lulas! Segundo o fabricante, este aroma distinto permite aos predadores “apanhar o rasto” da amostra, mesmo em águas turvas ou em condições de fraca luminosidade.

Quando abrimos um pacote pela primeira vez, a primeira coisa que me vem à cabeça é o cheiro de umas belas lulas acompanhadas com batatas com azeite e vinagre! Não cheiram a plástico nem cheiram mal.

Em termos anatómicos, as amostras já vêm com uma abertura na barriga, não sendo necessário efectuar qualquer tipo de corte na amostra. Esta ranhura, que começa alguns milímetros a seguir à cabeça da amostra, facilita o empate à Texas caso queiramos pescar com o anzol empatado à prova de ervas, e melhora drasticamente as cravagens.

Ranhura da barriga de uma amostra Ultimate Strike Minnow

Ranhura da barriga de uma amostra Ultimate Strike Minnow

O vinil é bastante flexível na ponta da cauda, o que faz com que a cauda nade mesmo com uma recuperação lenta da linha, e torna-se mais rijo na cabeça. Aqui fica um vídeo que mostra a acção das amostras:

A flexibilidade do vinil permite ainda que as amostras de dobrem facilmente, permitindo que os achigãs as suguem facilmente quando atacam pela lateral.

Ranhuras laterais que permitem que a amostra de dobre facilmente

Ranhuras laterais que permitem que a amostra de dobre facilmente

Esta característica é realmente interessante, pois na maior parte das vezes, quando um achigã ataca uma presa, a acção efectuada pela boca funciona como um aspirador. Com a adição destas ranhuras laterais na amostra, ela dobra-se com mais facilidade, e mesmo na zona onde se encontra o anzol.

Outra função verdadeiramente interessante dessas ranhuras é a de indicar o local exacto onde o anzol deve sair da amostra.

As ranhuras da amostra sinalizam o local onde se deve colocar o anzol

As ranhuras da amostra sinalizam o local onde se deve colocar o anzol

Além disso, nas costas da amostra, alinhado com as ranhuras laterais, encontram-se dois pequenos buracos. Estas marcações indicam o local exacto onde o bico do anzol deve sair da amostra. Isto permite-nos empatar a amostra de forma perfeita, assegurando que o anzol está perfeitamente centrado no corpo da mesma, o que vai proporcionar um trabalhar sem falhas da amostra.

Continuando a falar nos detalhes do corpo da amostra, falta dizer que se trata de uma amostra com uma forma relativamente fina e aerodinâmica, sendo fácil de lançar. O seu corpo, visto de frente, tem um aspecto quase triangular, sendo mais larga nas costas e mais fina na barriga. Graças a este formato, é possível utilizar este swimbait sem qualquer peso que, ao contrário do que seria de esperar, a amostra não vem a rodar quando recuperamos a linha, mantendo um funcionamento normal e bem calibrado.

Outra característica muito interessante é o facto da amostra ser calibrada de forma que, quando em contacto com o fundo, apenas a cabeça da amostra toca no fundo, enquanto a cauda fica a flutuar, ficando a amostra numa posição quase que vertical, muito semelhante ao funcionamento de uma shakyhead, o que facilita a inalação da amostra por parte dos achigãs.

Forma de plástico rijo ajuda a evitar que as amostras se deformem

Forma de plástico rijo ajuda a evitar que as amostras se deformem

As embalagens também não foram deixadas ao acaso, e os vinis vêm dentro de um molde de plástico rijo, para que não se deformem, e em saquetas com fecho rápido, de forma a manterem a frescura aroma.

 

 

Cada saco traz 5 Ultimate Strike Minnows

Cada saco traz 5 Ultimate Strike Minnows

As cores

Actualmente existem disponíveis em 5 cores, que cobrem todas as condições que se possam encontrar.

A escolha da cor deverá depender das condições climatéricas e da claridade da água.

Assim, para águas claras e dias de Sol, será melhor optar por cores naturais, com algum brilho à mistura. O brilho reflecte a luz, imitando as escamas brilhantes dos peixes presa. Para estas condições, aconselha-se as cores Bluegill Flash e Baby Bass:

Bluegill Flash

Bluegill Flash

Baby Bass

Baby Bass

Para águas claras e dias encobertos, serão melhor cores que chamem um pouco mais a atenção, mas que não se pareçam pouco naturais. Assim, além das cores Bluegill Flash e Baby Bass já indicadas para águas claras, as cores Pink Candy Crush, Green Pumpkin P. P. e Salt n Pepper serão também uma boa opção:

Pink Candy Crush

Pink Candy Crush

Green Pumpkin P. P.

Green Pumpkin P. P.

Salt n Pepper

Salt n Pepper

Para águas turvas, cores como Pink Candy Crush, Green Pumpkin P. P., Fire Guppy ou Limetreuse são as mais aconselhadas. Segundo o fabricante, as cores Green Pumpkin P. P., Fire Guppy e Limetreuse são reactivas à luz UV, o que as torna mais visíveis em águas turvas.

Fire Guppy

Fire Guppy

Limetreuse

Limetreuse

Estas são as 7 cores que estão disponíveis no mercado actualmente.

Testes Ultimate Strike Minnow da b8lab

Chegaram em meados de Maio as primeiras amostras da b8lab, enviadas pela Clickbaits. Das 7 cores disponíveis, tive acesso a 3: Bluegill Flash, Baby Bass e Pink Candy Crush.

Amostras enviadas pela Clickbaits para testar

Amostras enviadas pela Clickbaits para testar

Desde então, tenho utilizado as amostras nas mais variadas situações e cenários – águas claras, águas turvas, locais com vegetação e sem vegetação, etc.

Confesso que não sou um grande adepto de swimbaits, mas estava na altura de ver como estas amostras se portavam.

Como qualquer nova amostra que compro, o primeiro ensaio é efectuado no “açude de testes”. Se não apanhar peixe ali, não apanha em mais lado nenhum!

Pois bem, as USM (Ultimate Strike Minnow) passaram no teste:

Uma das várias capturas efectuadas no açude de testes

Uma das várias capturas efectuadas no açude de testes

Como estava a utilizar um anzol 4/0 empatado à Texas sem peso, umas das coisas que notei foi que era algo difícil cravar os peixes mais pequenos. Julgo que se estivesse a utilizar cabeçotes com o anzol exposto seria bem mais fácil!

Como se pode ver pela imagem anterior, para capturar peixes mais pequenos sem dificuldades, inventei um empate Texas, mas que em vez de deixar o anzol no inicio da amostra, como mostro na imagem abaixo, passei a primeira parte da amostra com o anzol sempre dentro da amostra, ficando o olho do anzol na direcção onde ficaria o bico. Dessa forma, o bico do anzol ficou a sair bem mais a trás, o mais próximo da cauda possível, mas sem afectar a acção da mesma. Desta forma, comecei a capturar sem problemas todos os peixes que atacavam a amostra, mesmo os que só mordiam a ponta da cauda.

Empate Texas sem peso

Empate Texas sem peso

Outra coisa que ganhei com este “empate” foi mais durabilidade da amostra. Diga-se que as amostras aguentam tareia a torto e a direito! Das dezenas de peixes que tenho conseguido capturar com a mesma amostra, nunca se partiu a cauda uma única vez! A parte que se acaba por deteriorar mais rapidamente é a cabeça da amostra, pelo facto desta “saltar” do anzol e subir a linha, como é normal acontecer com todas as amostras de vinil. Desta forma, como o anzol não se encontra na a sair na cabeça da amostra, e como existem alguns centímetros de fio a passar por dentro da amostra, ela acaba por quase nunca saltar para cima (só com peixes maiores), o que faz com que dure bastante.

No entanto, como todas as amostras de vinil, não duram para sempre. Para tirar o máximo partido de cada amostra (uma vez que apenas me disponibilizaram 3 packs, quando a cabeça da amostra acabava por ceder, ainda conseguia capturar mais um ou dois peixes, simplesmente cortando a parte danificada e voltando a empatar:

Amostra Ultimate Strike Minnow com a cabeça cortada

Amostra Ultimate Strike Minnow com a cabeça cortada

Desta forma ficava com uma amostra “nova” a rondar as 4″…

Com a amostra mais curta, os palmeiros não se pensavam duas vezes

Com a amostra mais curta, os palmeiros não pensavam duas vezes

O único problema é que desta forma, a amostra não consegue suportar mais que duas ou três capturas. Isto porque, como tem o corte na barriga para facilitar as cravagens, depois de cortar a cabeça, fica-se com pouca espessura de vinil onde empatar o anzol.

Mencionei este facto junto da Clickbaits, e eles indicaram-me que já está em fabrico a mesma amostra noutros dois tamanhos: 2,8″ e 3,8″. As amostras com os novos tamanhos deverão ficar disponíveis mais para o fim do ano.

Um dos testes que fiz com o empate sem qualquer peso tinha como objectivo ver se a amostra continuava a “nadar” correctamente ou se começava a girar sobre si própria. Pois bem, as amostras são muito bem calibradas e mesmo sem qualquer peso, continuam a nadar direito. Isto deverá dever-se ao seu formato em V. Como funcionam bem, é possível utilizar as USM com empate Texas sem peso, e pescar com uma animação tipo Walk the dog na sub-superfície.

Captura com USM na cor Pink Candy Crush

Captura com USM na cor Pink Candy Crush a “passear” junto de tufos de vegetação

Outra coisa que não resisti a testar foi o tal comportamento da amostra de, quando toca no fundo, ficar numa posição praticamente vertical. Para o efeito, e para que afundasse mais rapidamente, utilizei anzóis que já vêm calibrados com um peso, e com uma mola para enroscarmos a amostra, garantindo também este tipo de anzol uma boa durabilidade das amostras:

Empate Texas com anzol calibrado

Empate Texas com anzol calibrado

O efeito conseguido é verdadeiramente fantástico! A amostra fica efectivamente com a cauda sempre para cima, assumindo a amostra uma posição quase vertical. Com alguma prática, é possível, através de ligeiros toques com a ponteira da cana, imitar um pequeno peixe que se anda a alimentar no fundo.

Testei ainda as amostras como atrelado num jig com lâmina. Mais uma vez, sucesso!

Ultimate Strike Minnow atrelada num jig com lâmina da Booyha

Ultimate Strike Minnow atrelada num jig com lâmina da Booyha

Para terminar a sequência de testes, levei as Ultimate Strike Minnow para um dos locais com vegetação mais densa que conheço, e pesquei com empate Texas com o bico do anzol escondido, a passar por cima da erva, e a deixar cair a amostra por breves instantes nas aberturas da vegetação. Com a velocidade de recuperação correcta, a amostra faz um efeito de buzzbait suave, graças ao nadar da sua cauda à superfície.

Inicialmente tive algumas dificuldades. Parecia que os peixes mandavam grandes cabeçadas na amostra mas não a mordiam… Vários peixes falhados depois, eis que se faz luz! O problema deveria ser a cor!

Como já devem ter reparado, tenho bastantes fotos de peixes com as amostras em cor-de-rosa… Fiquei tão perplexo com esta cor, que foi a primeira de todas que experimentei, e qual não foi o meu espanto quando vi que os peixes pareciam doidos para as comer! A partir daí, foi sempre com as cor-de-rosa. No entanto, neste dia, daquele açude, eles não as estavam a morder… Resolvi então utilizar uma na cor Baby Bass, e os resultados não se fizeram esperar:

Achigã capturado com uma Ultimate Strike Minnow num local com muita vegetação

Achigã capturado com uma Ultimate Strike Minnow num local com muita vegetação

Conclusão dos testes efectuados

Depois de várias horas de pesca, em vários açudes diferentes, no maior número de condições possível, estou rendido a estas amostras. Elas simplesmente apanham peixe!

Quem me conhece ou tem seguido este site desde sempre, sabe que sou um adepto fervoroso de senkos.

Pois bem, com estas amostras, além de poder utilizá-las nos mesmos locais onde utilizo os senkos, ganhei muito mais versatilidade!

Posso pescá-las à superfície em locais com vegetação densa, como já faziam com senkos.

Posso fazer pitching e flipping para locais cirúrgicos com coberturas e estruturas, e deixá-las afundar livremente como com os senkos. Ainda na mesma situação, se lhes colocar peso, elas caiem na vertical, com a cauda a nadar, obtendo dessa forma mais acção do que com os senkos.

Posso pescá-las à superfície, com pequenos toques de ponteira e “passeá-las”, como já fazia com os senkos. No entanto, ainda neste modo, posso fazer com que a amostra quebre a superfície da água, e tenha o tal efeito suave de buzzbait, o que eu não podia com os senkos!

Posso pescá-las no fundo, como se estivesse a utilizar um cabeçote shakyhead com uma minhoca flutuante, o que não podia fazer com os senkos.

E, como conclusão do que posso fazer, está o facto de pura e simplesmente as poder pescar a corricar continuamente, e fazer com que nadem simplesmente, coisa que também não podia fazer com os senkos.

Em relação ás cores, só dizer que as que tenho são realmente bem conseguidas. Qualquer uma das 3 cores que tenho, apesar de nas imagens que retirei do site do fabricante parecerem, por exemplo no caso da Baby Bass, verdes com a barriga branca, na realidade a barriga é transparente. O mesmo acontece com as cor-de-rosa e as azuis. Este facto, aparentemente, parece acrescentar um maior grau de realismo ás amostras.

Outra coisa que ao principio me deixou apreensivo foi o aroma… Cheiro a lulas?!?!? Pois, não cheiram muito bem, mas também não cheiram a plástico, nem cheiram a peixe morto! Cheiram… a lulas! Quando abrimos o pacote, se fecharmos os olhos, é como se nos estivessem a colocar um pelo prato com batatas de azeite e vinagre com lulas grelhadas à frente! 🙂

Uma última palavra quando à durabilidade. A meu ver, são amostras resistentes (como disse, nunca em todas as capturas se partiu um rabo sequer!). Claro que se partem com a utilização e os ataques, mas considero que a sua resistência é normal, quando comparadas com os vinis da YUM que costumo utilizar. Claro que podemos ter vários termos de comparação, e se as comprar com os vinis da Yamamoto, aí então diria que as USM da b8lab são muito resistentes!

Resumindo, as Ultimate Strike Minnow da b8lab não são um simples swimbait de vinil. Tratam-se das amostras de vinil mais versáteis que tive oportunidade de experimentar até hoje, e a versatilidade é fundamental para quem pesca de margem, visto que não nos podemos dar ao luxo de carregar com dezenas de amostras, cada uma para uma aplicação distinta.

Para os mais cépticos, principalmente em relação à cor-de-rosa, efectuei este vídeo de 8 minutos, que é resultado de uma pescaria de cerca de 1 hora e meia, ao fim do dia 12 de Junho de 2014:

Fiquei tão satisfeito com as amostras que já contactei a empresa para adquirir mais para mim. O pvp é de 7,5€ cada saco. Quem também as pretenda experimentar pode adquiri-las no site onefishplus.com.

Disponíveis em Portugal através do site onefishplus.com.

Alberto Nunes

Alberto Nunes é um profissional de Informática viciado em pesca ao achigã. Criou o basspt.com para partilhar as suas ideias e experiências de pesca ao achigã, e para colmatar a falta de informação em Portugal sobre esta temática.

More Posts - Website - Pinterest - Google Plus